Lapas critica João Paulo e Prascidelli

0

Lapas critica João Paulo e Prascidelli
A prisão fez muito mal para João Paulo, ele voltou rancoroso”, disparou prefeito

publicidade

Agora no PDT// Saída do PT ocorreu principalmente por divergência com grupo político ligado ao ex-deputado federal, diz Jorge Lapas

O prefeito de Osasco, Jorge Lapas (PDT), fez duras críticas a setores do seu ex-partido, o PT, durante entrevista coletiva que concedeu na quarta-feira, 6. Lapas disse que sua saída da legenda teve influência de problemas no âmbito nacional, mas ocorreu principalmente por divergências com o PT de Osasco, já que uma parte do partido estaria, segundo ele, prejudicando a administração.

publicidade

Para Lapas, a gota d’água para a mudança de partido foi a atuação do ex-deputado João Paulo Cunha. “A vinda do João Paulo, com uma articulação fora do partido e para prejudicar a nossa administração. Achei um desrespeito muito grande produzir material contra o governo”, disse o prefeito, se referindo a suposto apoio do ex-deputado à pré-candidatura do vereador Rogério Lins (PTN) e à impressão de jornais com críticas à prefeitura.

Lapas também não aceitou o fato de que o grupo ligado a João Paulo tenha defendido a realização de prévias para escolha do candidato petista à prefeitura, ignorando sua pretensão natural a tentar a reeleição. “A prisão fez mal para ele. Ele voltou mais rancoroso e isso é muito ruim para a história dele”, disparou o prefeito sobre o ex-deputado, que teve a pena pela condenação no “mensalão” perdoada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) no início de março.

publicidade

A ida para o PDT e as divergências com o PT já têm trazido mudanças para a administração. Gelso de Lima, o nome mais ligado a João Paulo no secretariado, foi o primeiro a ser exonerado, deixando o comando da Secretaria de Indústria, Comércio e Abastecimento. Lapas, no entanto, nega que haverá uma “caça às bruxas” e diz que as escolhas vão se dar por critérios técnicos. “Não vai haver perseguição. Se a pessoa quiser sair do PT, tudo bem, se quiser, fica”, disse. Membros mais ligados a Lapas, como a ex-secretária de Educação, Régia Maria, já se filiaram ao PDT.
Sobre a mudança de partido, Jorge Lapas disse que o objetivo é manter o projeto político e a aliança com os demais partidos de sua base. “Essa decisão foi fruto de muita conversa com toda a base. Para mim o mais importante é a cidade, que vem avançando, apesar da crise”. Ele destacou que “o PDT é um partido que tem história na cidade e no país”.

Prascidelli
O deputado federal e vice-prefeito licenciado de Osasco, Valmir Prascidelli (PT-SP), divulgou mês passado carta aberta onde pedia para que Lapas permanecesse no partido. Questionado, o prefeito disse estar magoado com o ex-aliado, por quem trabalhou na eleição de 2014. “Ele destinou só 10% das emendas dele para Osasco. Investimos na campanha [a deputado] e ele nunca se manifestou contra a realização de prévias [no PT de Osasco]”, criticou.

Emidio
Lapas admitiu que sua decisão teve um impacto negativo para o presidente estadual do PT e seu padrinho político, Emidio de Souza, mas mostrou que a relação dos dois é de amizade pessoal. “O amigo um dia vai entender que a gente deu o passo correto”, disse.

Comentários