Lapas e Dilma anunciam investimentos em mobilidade

0

Presidente discursa em evento realizado em Guarulhos, cidade que também receberá investimentos / Foto: Roberto Stuckert Filho/PR
Presidente discursa em evento realizado em Guarulhos, cidade que também receberá investimentos / Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

publicidade

Fernando Augusto

O prefeito de Osasco, Jorge Lapas (PT), participou de evento em Guarulhos nesta quinta-feira, 7, onde a presidente Dilma Rousseff anunciou investimento do Pacto da Mobilidade Urbana para as duas cidades. Osasco receberá investimento de R$ 124 milhões do governo federal para dois projetos.

Cidade terá seu primeiro túnel

publicidade

Um deles é a implantação do corredor Visconde de Nova Granada-Sport Club Corinthians Paulista, com investimento de R$ 123 milhões. O corredor terá 4,7 quilômetros ao longo do eixo Visconde de Nova Granada-S.C. Corinthians, com prolongamento em dois ramais laterais que vão interligar à avenida Sarah Veloso, incluindo túnel e melhoria de acesso ao Rodoanel, e avenidas Flora e Ignes Blandina, com melhoria ao acesso à rodovia Raposo Tavares. O projeto também inclui ciclovia e canalização de córrego.

Outro projeto que receberá recursos é o estudo de viabilidade para a implantação de um Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) para trafegar nas marginais do Rodoanel, entre Osasco e Carapicuíba. O projeto contará com R$ 1 milhão para criação de proposta para implantação de uma linha de média capacidade de transporte coletivo sobre trilhos. “A mobilidade hoje está no centro da questão da qualidade de vida”, disse Dilma durante o evento.

publicidade

O prefeito Jorge Lapas agradeceu os investimentos que o governo federal tem feito na cidade e convidou a presidente para que visite Osasco e acompanhe o andamento de algumas obras. Lapas citou o investimento em obras estruturais na favela do Jardim Santa Rita, na zona Norte. “É uma situação de calamidade que vai ser resolvida. Dia 7 de dezembro vai começar a obra”, disse o prefeito.

Puxão de orelha
Lapas disse que algumas obras que têm recursos liberados pelo governo federal às vezes demoram para começar por problemas burocráticos, e brincou: “a Miriam Belchior não precisa mais puxar a orelha”, disse, referindo-se às cobranças da ministra do Planejamento.

O ministro das Cidades, Aguinaldo Ribeiro, disse que a mobilidade urbana foi um tema que ficou esquecido por 30 anos no país. “A vida do povo melhorou, o acesso ao carro, mas nunca se investiu em infraestrutura e transporte de qualidade. O grande foco do programa de mobilidade urbana é devolver o tempo para as pessoas”, afirmou.

Pacto foi anunciado em junho 

Os recursos do Pacto da Mobilidade são do Orçamento Geral da União (50%) e do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (50%). Os projetos foram selecionados pelas equipes técnicas do Ministério das Cidades e do Ministério do Planejamento para receber os recursos. O pacto da mobilidade urbana, anunciado pelo governo após as manifestações de junho, destinou R$ 50 bilhões para investir em novos empreendimentos para o setor.
Na quinta-feira, 7, a presidente Dilma Rousseff também anunciou R$ 625 milhões em investimentos na área na cidade de Guarulhos.

Comentários