Liberação de saque do FGTS “é injeção na economia”, diz Bolsonaro

0
FGTS conta inativa
Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom / Agência Brasil

O governo federal deve anunciar esta semana a liberação do saque de parte do FGTS para contas ativas. As regras ainda não estão definidas. Especulações apontam que o limite de saque deve ser de até 30% do FGTS. Interlocutores do governo afirmam que a medida deve movimentar em torno de R$ 30 bilhões.

publicidade

Em entrevista nesta quarta-feira (17), o presidente Jair Bolsonaro declarou que a iniciativa será “uma pequena injeção na economia”. “E é bem-vindo isso daí, porque começa a economia, segundo os especialistas, a dar sinais de recuperação”, emendou o presidente.

Imposto de renda

Bolsonaro também declarou que o governo vai trabalhar por uma reforma tributária mexendo apenas em impostos federais, com perspectiva de redução da carga tributária ao longo dos anos. Uma das mudanças seria a redução da alíquota máxima do imposto de renda (IR) para 25%.

publicidade

Atualmente, pessoas físicas pagam até 27,5% e pessoas jurídicas, como empresas, pagam até 34% de IR. Outra ideia do governo é unificar impostos e contribuições federais, como PIS, Cofins, IPI e IOF, em um imposto único.

“O que nós queremos fazer, conforme explanação do Marcos Cintra, no dia de ontem, na reunião de ministros, é mexer só com os tributos federais. Uma tabela de imposto de renda de, no máximo, 25%, e dar uma adequada. E nós queremos, segundo o próprio Onyx Lorenzoni falou, no dia de ontem, na reunião, nós queremos, ano a ano, ir reduzindo nossa carga tributária”, afirmou o presidente em entrevista a jornalistas logo após participar da cúpula do Mercosul, em Santa Fé, na Argentina.

publicidade

Filho embaixador nos EUA

Bolsonaro voltou a comentar sobre a eventual indicação de seu filho, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), para o cargo de embaixador do Brasil nos Estados Unidos. Segundo ele, consultas preliminares serão feitas ao governo norte-americano e o presidente Donald Trump deve dar o seu aval. “Tenho certeza que ele dará o sinal positivo”, disse.

Na coletiva com chanceleres do Mercosul, o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, elogiou Eduardo Bolsonaro e disse que ele pode ajudar a alavancar projetos entre o Brasil e Estados Unidos.

“É uma pessoa com grande capacidade de articulação política, ajudaria muito os projetos que temos com Estados Unidos. A perspectiva agora dependeria, sobretudo, claro, da aprovação pelo Senado, mas me parece que seria um excelente nome”, disse.

Agência Brasil

Comentários