Leandro Conceição

publicidade

Polêmica e com diversos problemas na Justiça, a obra do prédio onde foi planejada pela gestão anterior a instalação do novo Paço Municipal de Osasco agora tem destino incerto. O prefeito Rogério Lins (PTN) diz que não está convencido da necessidade de um novo Paço no edifício, que pode ter outra destinação.

Durante coletiva de imprensa esta semana, o prefeito cogitou a possibilidade de implantação de uma unidade de saúde no prédio, que poderia ser até um hospital, segundo ele. Na Câmara, na sessão desta quinta, 9, vereadores sugeriram a instalação de um hospital infantil.

publicidade

“A gente tem discutido se o que a cidade quer é uma nova prefeitura, uma nova Câmara, ou um novo hospital para a nossa cidade”, declarou Rogério Lins. “Estamos fazendo estudos de viabilidade de demanda”.

O prefeito não afirmou, no entanto, quanto custaria a implantação e manutenção de um possível novo hospital municipal.

publicidade

De acordo com Rogério Lins, sua gestão herdou dívidas que somam R$ 700 milhões em precatórios e R$ 170 milhões em pendências junto a fornecedores.

Educação 

Lins anunciou ainda um plano de construir dez novas creches. As obras devem começar ainda este ano, segundo ele.

O prefeito declarou que o cancelamento, pela gestão anterior, da compra de material escolar e uniforme causaram atraso na entrega dos itens aos alunos da rede municipal.

Ainda não há prazo para a entrega. “Esses problemas serão sanados, mas vai demorar alguns dias”.

O município enfrenta ainda um déficit de cerca de 1,7 mil professores na rede, disse. O Ministério Público chegou a sugerir que as aulas fossem suspensas por um mês.

“A gente chamou os professores, explicou a dificuldade, o déficit, e muitos professores estão dobrando [a jornada]”. Nos próximos dias devem iniciar na rede 160 professores contratados por processo seletivo.

Modelo de tributação é último passo para regulamentação do Uber 

A definição do modelo de tributação é o último passo para Osasco regulamentar o Uber, de acordo com Rogério Lins. “A Secretaria de Finanças está estudando o melhor formato [de tributação], se vai ser por quilômetro rodado ou por viagem”.

A cobrança de Imposto Sobre Serviços (ISS) deve aumentar o custo ao usuário. Em São Paulo, por exemplo, é cobrado R$ 0,10 por quilômetro rodado.

OSs vão administrar UPAs da Vila Menk e Jardim Conceição 

Assim como o Hospital Municipal, que é administrado pela Fundação do ABC, a prefeitura vai repassar a Organizações Sociais (OSs) a administração das Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) da Vila Menk, na zona Norte, e Jardim Conceição, zona Sul. De acordo com o prefeito, a mudança deve ocorrer ainda no primeiro semestre.

Zona Azul 

Na coletiva de imprensa de quarta, 8, o prefeito de Osasco declarou ainda que a prefeitura deve acabar com a cobrança de zona azul em frente ao cemitério do Bela Vista e estuda extinguir a taxa em áreas do Km 18.

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui