Março tem saldo positivo de 19 mil empregos

0
Emprego

Ministro do Trabalho ressalta preocupação com resultado negativo do ano e diz que crise política impacta a economia / Foto:  Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasi
Ministro do Trabalho ressalta preocupação com resultado negativo do ano e diz que crise política impacta a economia / Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasi

publicidade

Nesta quinta-feira, 23, dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados pelo Ministério do Trabalho e Emprego apontam que o emprego no mês de março voltou a crescer após três meses de queda. Em março foram criados 19,3 mil novos postos de trabalho no país, acréscimo de 0,05% em relação ao mês anterior.
De janeiro a março, houve o fechamento de 50,3 mil vagas, redução de 0,12%. Os dados dos últimos 12 meses mostram redução no emprego de 48,6 mil vagas. O resultado de março é melhor do que o obtido em março de 2014, quando o país criou 13,1 mil novos postos.

Para obter o resultado, foi observado o número de admissões e demissões. Março teve 1.719.219 contratações e 1.699.937 demissões. No ano, foram admitidos 5.088.689 trabalhadores com carteira assinada e 5.139.043 demitidos. De acordo com o ministro do Trabalho, Manoel Dias, o resultado negativo do ano é preocupante, mas tende a melhorar. “No nosso entendimento estamos vivendo uma crise política que também impacta a economia. Isso posterga a compra de um automóvel, de um apartamento e o investidor deixa de investir. O que nos mostra o resultado de março é que nós começamos uma recuperação e abril será melhor”, afirma.

publicidade

Por setor
O setor de serviços foi o que mais abriu portas, com 53.778 postos. A construção civil e a indústria tiveram 18.205 e 14.683 novos postos, consecutivamente. O setor da agricultura fechou março com um saldo positivo de 6.281 novos postos de trabalho. O comércio fechou o mês com 2.684 vagas.

publicidade
Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorCinema periférico
Próximo artigoSem acordo, greve continua no estado