Metalúrgicos da H-Buster entram no quinto dia de greve

0

Manifestação em Cotia chamou atenção para a situação / Foto: Eduardo Metroviche
Manifestação em Cotia chamou atenção para a situação / Foto: Eduardo Metroviche

publicidade

Auris Sousa

Os metalúrgicos da H-Buster, de Cotia, completam nesta sexta-feira, 12, cinco dias de greve. A paralisação acontece em resposta à falta de pagamento dos salários por parte da empresa, que entrou no dia 22 de março com pedido de recuperação judicial.
Segundo informações da empresa, passadas ao Sindicato dos Metalúrgicos de Osasco e Região, o pagamento não foi possível porque a H-Buster teve seus recursos bloqueados pelos bancos. Logo, a metalúrgica só conseguirá ter acesso aos valores quando a Justiça liberá-los.

publicidade

Audiência de Conciliação
Na quinta-feira, 11, a pedido do Sindicato, uma audiência de conciliação aconteceu entre a entidade e a H-Buster no Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região. Dezenas de trabalhadores acompanharam a audiência, alguns no próprio plenário e outros em frente ao prédio.
No encontro, a empresa não apresentou uma previsão de data para pagamento dos salários. Com isso segue o impasse. “A greve vai continuar até que os trabalhadores recebam seus salários”, enfatizou o diretor do Sindicato dos Metalúrgicos de Osasco e Região, João Batista.
Segundo a entidade, os trabalhadores já estão passando por dificuldades para saldar dívidas e, em alguns casos, até para a alimentação em casa. “A situação é preocupante, porque a empresa assume que deve e não tem como pagar”, explicou João Batista.

Ato por salários e emprego
Na última semana, os trabalhadores realizaram uma manifestação pelas principais ruas de Cotia com o objetivo de sensibilizar autoridades e sociedade pelo ocorrido. Com isso, os metalúrgicos já contam com a solidariedade da Câmara dos Vereadores. Os parlamentares fizeram na sexta-feira, 5, uma moção de apoio à luta dos metalúrgicos.

publicidade

Comentários