Metalúrgicos e Ctrens/CAF têm 30 dias para negociar pauta

0

Grevistas são 250 trabalhadores que prestam manutenção em trens da CPTM / Foto: Eduardo Metroviche
Grevistas são 250 trabalhadores que prestam manutenção em trens da CPTM / Foto: Eduardo Metroviche

publicidade

Em audiência de conciliação realizada nesta quinta-feira, 5, no Tribunal Regional do Trabalho de São Paulo (TRT-SP), ficou definido o prazo de 30 dias para os metalúrgicos e as empresas Ctrens e CAF, em greve desde o dia 29 de maio, negociarem a possibilidade de implantar um novo plano de cargos e salários.

Ao todo, os grevistas são 250 trabalhadores das empresas que prestam serviço de manutenção a 15 trens das linhas 8 (Diamante) e 9 (Esmeralda) da CPTM. Os funcionários voltam ao trabalho em estado de greve, a partir desta sexta-feira, 6. Será estabelecido um calendário de reuniões para buscar um acordo sobre a reivindicação. Ficou marcada audiência para 3 de julho. Se até esta data não houver acordo, o Tribunal irá julgar a greve.
Também foi definido que as empresas devem reembolsar os dois dias de trabalho que havia descontado dos salários dos trabalhadores referente ao mês de maio, correspondentes ao período de greve. No período da negociação estão proibidas demissões. Os trabalhadores criticam o formato aplicado hoje nas empresas, por não identificarem nele critérios claros para reconhecimento, promoção e elevação salarial.

publicidade

Comentários