Metalúrgicos fecham acordos de reajuste

0

Trabalhadores fecharam acordos em assembleia
Trabalhadores fecharam acordos em assembleia

publicidade

Os metalúrgicos de Osasco e Região conseguiram nos últimos dias acordos que repõem as perdas com a inflação com a maioria dos grupos patronais.
O reajuste é de 10,33% para os trabalhadores de empresas de máquinas e eletrônicos (grupo 2) e do setor de fabricação de equipamentos para cozinhas industriais (Sindal é o nome do sindicato patronal).
A maioria dos que trabalham no setor de tratamento térmico, refrigeração, equipamentos ferroviários, metais não ferrosos, esquadrias e ferramentas, o reajuste é de 10%. No entanto, ainda não houve acordo com dois sindicatos patronais que compõem esse grupo, ligados aos setores de laminação de metais ferrosos e condutores elétricos.
“Depois de estabelecermos o acordo com o grupo finalmente tivemos uma proposta melhor, ao menos com parte do grupo 19-3. Agora, vamos pressionar o restante”, afirma o diretor do Sindicato dos Metalúrgicos de Osasco e Região, Gilberto Almazan, que participa das negociações.
Todos os acordos firmados preveêm pagamento de parte do reajuste em janeiro e outra parte em março ou abril. Além de abonos para os trabalhadores cujas empresas optarem por não aplicarem o reajuste em novembro.
De acordo com o sindicato, os patrões dos grupos 10 (lâmpadas e funilaria) e 3 (autopeças) ainda resistem a fechar um acordo que atenda às reivindicações dos metalúrgicos: reposição da inflação, correção do piso e garantia dos nossos direitos.

publicidade
Comentários