“Não haverá palanque duplo”, diz Skaf

0
Candidato do PMDB ao governo, Paulo Skaf, e Gilberto Kassab (PSD), em coletiva em Osasco

Fernando Augusto

publicidade

O candidato do PMDB ao governo do estado, Paulo Skaf, disse na terça-feira, 12, em Osasco, que, apesar da aliança nacional de seu partido com o PT, não vai dividir o palanque com a presidente Dilma Rousseff. “O PT, assim como o PSDB, são meus adversários. Para não confundir o eleitor, não tem palanque duplo [no estado]”, afirmou. Skaf participou de encontro com sindicalistas e concedeu entrevista coletiva no Diario da Região, em evento organizado pela Associação dos Jornais do Interior de São Paulo (Adjori).

“Caixa d’água de SP está esvaziando”

Durante a entrevista, o presidente licenciado da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) falou sobre a crise no abastecimento de água no estado e criticou a falta de investimentos do governo por meio da Sabesp. “A caixa d’água de São Paulo está esvaziando. Está se contando com a possibilidade de chuvas a partir de outubro”, disse o candidato, que também se mostrou preocupado com a política de distribuição de dividendos da Sabesp. “Tem um princípio empresarial de que quando a empresa precisa de investimentos você não distribui para os acionistas, mas reinveste na própria empresa. Principalmente uma empresa que tem responsabilidade com o público”, alfinetou. Ainda sobre o tema, o peemedebista disse que, a curto prazo, é preciso “economizar e rezar para chover”.

publicidade

Questionado pelos jornalistas e sindicalistas, Skaf defendeu a adoção de concessões e Parcerias Público-Privadas (PPPs) para acelerar projetos de infraestrutura e transporte. “Tudo é muito lerdo em São Paulo. Um projeto como o Rodoanel já tem 23 anos e ainda tem dois trechos que não estão terminados”, afirmou. O candidato disse que sua prioridade para melhorar a mobilidade na Região Metropolitana seria o transporte sobre trilhos.
Outra crítica de Paulo Skaf foi sobre o tipo de concessão feita nas rodovias paulistas. “Você vê muitos pedágios a preços elevados porque lá atrás foi feita uma concessão onerosa. O governo recebeu uma bolada e depois o usuário é quem paga o pato”, disse, defendendo a concessão pelo menor preço, onde quem oferece a menor taxa de pedágio ao usuário vence a concessão.

Fórum de Desenvolvimento entrega documento a candidatos

publicidade

Durante sua passagem por Osasco, o candidato ao governo de São Paulo pelo PMDB, Paulo Skaf, recebeu documento elaborado pelo Fórum de Desenvolvimento Regional Oeste cobrando posições de seu programa de governo em relação à região oeste.

O Fórum é uma iniciativa da sociedade civil organizada, composta por entidades sindicais, empresariais, além de instituições ligadas à educação e outras áreas de ação social. Seu objetivo primário é estabelecer um diálogo permanente com o Consórcio dos Prefeitos da Região Oeste (Cioeste) para sugerir políticas e projetos voltados ao desenvolvimento.
O documento entregue a Skaf cobrou posições claras do candidato quanto a alguns temas elencados como prioritários pelo Fórum, como a extensão do Metro para a região, destinação do lixo, abastecimento de água, recuperação do ensino, entre outros.

Dias antes, o material também foi entregue ao candidato Alexandre Padilha, do PT, quando participou de caminhada com a presidente Dilma Rousseff no centro de Osasco.

Comentários