No Nordeste, Dilma compara planejamento contra seca à falta d’água em São Paulo

0

Da Rede Brasil Atual

publicidade
Dilma em comício em Petrolina-PE. Foto: Ichiro Guerra
Dilma em comício em Petrolina-PE. Foto: Ichiro Guerra

A presidenta Dilma Rousseff voltou a atribuir indiretamente responsabilidade à gestão tucana pela crise hídrica que aflige o estado de São Paulo nos últimos meses. As declarações foram feitas na tarde de hoje (21) durante um comício em Petrolina, no interior do Pernambuco. Ontem (20), a candidata à reeleição pelo PT havia dito, em São Paulo, que a crise paulista no abastecimento de água ocorreu por falta de preparo do governo de Geraldo Alckmin (PSDB), que se reelegeu em primeiro turno, com 12.230.520 de eleitores (57,31% dos votos válidos), para mais um mandato à frente do Palácio dos Bandeirantes.

“Fomos capazes aqui no semiárido de enfrentar a seca e conviver com a seca. Porque nosso negócio é saber que a seca vem e a gente tem que estar muito preparado para ela. O estado mais rico do Brasil, o estado de São Paulo não se preparou para a seca. Vocês do Nordeste, vocês se prepararam. E hoje, diante da maior seca, nós temos condições de viver aqui e não ficar catando pingo de água por aí. O um milhão de cisternas é uma bênção que vocês construíram conosco”, afirmou Dilma, durante o ato político em um municípios mais importantes do semiárido pernambucano

publicidade

Segundo a campanha da presidenciável do PT, o governo federal entregou 1 milhão de cisternas para consumo, através do programa Água para Todos, em todo o Brasil nos últimos 12 anos, dos quais cerca de 548 mil apenas no Nordeste durante a gestão de Dilma.

Durante o discurso, a presidenta também destacou outros outras vitrines dos governos petistas, como investimentos em mobilidade urbana, Mais Médicos, Minha Casa, Minha Vida, Pronatec e ProUni. “No dia 26, nós vamos claramente mostrar que o Brasil tem rumo, quer continuar lutando, quer continuar fazendo pela população do país.”

publicidade

Segundo dados da campanha petista relativos ao Nordeste, o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) destinou para os produtores rurais da região mais de R$ 3 milhões em crédito para a safra 2013/2014, o Mais Médicos beneficiou 16 milhões de nordestinos (cerca de 32% do total de brasileiros atendidos pelo programa), o Bolsa Família é utilizado atualmente por 6,8 milhões de famílias, e o Minha Casa, Minha Vida entregou um milhão de unidades habitacionais.

Dilma ainda aproveitou para cutucar novamente o PSDB e o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, que em entrevista ao portal UOL, um dia após o primeiro turno, atribuiu ao voto de eleitores “menos informados” o desempenho significativo da petista nas regiões Norte e Nordeste do país. No primeiro, a presidenta teve 4 milhões de votos (50,52% dos votos válidos), contra 2,3 milhões (28,26%) de Aécio Neves, do PSDB, e 1,5 milhão (17,98%) de Marina Silva, do PSB. Já no segundo, ela venceu com 16,3 milhões de votos (59,58% do votos válidos), enquanto a ex-ministra do Meio Ambiente no governo Lula recebeu 6,4 milhões (22,92%) e o tucano, 4,2 milhões (15,38%).

“Nós somos pessoas ignorantes porque nós ignoramos os tucanos”, ironizou Dilma, sendo ovacionada pelo público em Petrolina. “Eles não sabem que essa região do Brasil está mudando pelo braço, pela garra e o esforço do seu próprio povo e pelas oportunidades do presidente Lula e do meu governo fizeram aqui no semiárido”, complementou.

Comentários