O colecionador de troféus

0
Foto: Eduardo Metroviche

Foto: Eduardo Metroviche
Foto: Eduardo Metroviche

publicidade

William Galvão

Com apenas 11 anos de idade, o jovem Diego Ramos, que mora no Centro de Osasco, já acumula mais de 90 troféus em sua estante. Piloto de kart desde os nove, sonha em um dia chegar à Fórmula 1 e ser campeão mundial. “Me espelho bastante no [Sebastian] Vettel, espero um dia chegar onde ele chegou”, diz. Vettel é o atual tricampeão da principal categoria do automobilismo.
Para fazer bonito na pista, Ramos treina com o instrutor Roberto Torres pelo menos três vezes na semana e participa das competições, que geralmente acontecem nos finais de semana. Como o tempo se torna escasso, às vezes fica difícil conciliar com os estudos. “Ano passado foi mais difícil para conciliar o kart com o colégio. Mas, esse ano, diminuí um pouco o número de competições para poder me dedicar mais aos estudos e está dando certo”, conta.

“A primeira vez que entrei num kart, sabia que queria fazer aquilo pro resto da vida”

publicidade

Da coleção, mais de 30 troféus são de primeiro lugar. Seu interesse pelo kart surgiu ao ver Elias Azevedo, um amigo do pai, correndo no kartódromo. Percebendo o interesse e um possível talento do garoto, Elias o convidou para correr. “Foi a partir daí que decidi que queria correr. A primeira vez que entrei num kart, sabia que queria fazer aquilo pro resto da vida”.
Entre seus planos, o próximo passo do garoto é aprimorar o seu condicionamento físico, fator importante para os melhores pilotos. “Estou querendo fazer natação, tem que estar em forma pra poder aguentar na pista”. Para o garoto, além do trabalho, participar das competições é também muito legal e prazeroso. “Eu nem sei explicar direito o que sinto quando estou correndo. Às vezes fico meio nervoso por conta da pressão, mas ao mesmo tempo é muito gostoso”.

Investir no sonho
Iniciado no Brasil na década de 1960, o kart foi o início para alguns dos principais ídolos do nosso automobilismo, Ayrton Senna, Rubens Barrichello e Emerson Fittipaldi. Embora o sonho da maioria dos garotos seja se tornar jogador de futebol, alguns optam por outros esportes como o automobilismo. E para que esse sonho seja possível, é preciso levar em consideração o investimento que deve ser feito. “Os pais precisam arcar com um monte de despesas. Tem o equipamento, a competição, o kart. Às vezes fica pesado, mas a gente precisa apoiar, afinal é o sonho do seu filho”, explica Sandro Ramos, pai de Diego.

publicidade

Comentários