Bruno Sindona: O progresso não é o vilão

Bruno Sindona: O progresso não é o vilão

0
Compartilhar
Bruno Sindona, CEO da Sindona Incorporadora

Ouço muito a respeito do caráter predatório do desenvolvimento imobiliário nas cidades: “Trouxe o trânsito para cá”. ”Estragou minha rua”. ”Hoje só tem prédios aqui”. E confesso que estas afirmações me causam certa indignação.

Acompanhem comigo: essa rua só existe por que alguém a desenvolveu; um empreendedor buscando uma área pra sua empresa, um loteador abrindo um novo bairro, ou qualquer pessoa da iniciativa privada que vislumbrou uma necessidade e uma oportunidade fazendo a cidade crescer. O desenvolvimento atrai pessoas e carros sim, mas não os cria. O desenvolvimento nasce de uma necessidade existente na cidade. Pessoas nascem, casam, precisam de mais espaço para trabalhar todos os dias e é necessário que empresas idealizem e construam esses espaços.

O que destrói as cidades é a falta de planejamento, falta do poder público priorizar o urbanismo e as boas práticas de crescimento. As cidades invariavelmente tem infraestrutura não planejada, construídas por demanda após demanda, gerando aquele trânsito que irrita, aquela falta d’agua que estraga seu fim de semana, aquela caminhada de 2 km para comprar um pão.

Publicidade

Sem o desenvolvimento planejado, com parcerias sólidas entre a iniciativa privada e o poder público, o que vemos são invasões, loteamentos irregulares, ruas executadas sem projeto que não funcionam, inflação de preços em determinadas localidades impedindo que se more próximo ao trabalho. Todos estes transtornos que o leitor já deve ter se lembrado.

Infelizmente sofro em dizer que na maioria das cidades da região Metropolitana de São Paulo, agora é tarde. Não dá mais para fazer o ideal. Temos que reformar e fazer o possível. Isso custa mais caro e gera transtornos, mas ainda assim é necessário.

Publicidade

Temos de repensar a cidade visando à melhoria da qualidade de vida. É preciso entender que esta qualidade de vida trás economia à população; trás bem estar e felicidade. A região que não alaga prolifera menos doenças, a rua bem iluminada gera segurança, o bairro arborizado melhora a respiração de nossas crianças, o trabalhador que gasta menos tempo no trânsito trabalha mais e mais feliz.

Senhores governantes, pensem a cidade! Se não por amor às pessoas, que seja por respeito à matemática.

Bruno Sindona é CEO da Sindona Incorporadora

Compartilhar

Comentários