Osasco, futebol e chopp

0
Foto: Leandro Conceição

Foto: Leandro Conceição
Foto: Leandro Conceição

publicidade

“Se o GEO ganhar, a gente bebe pra comemorar. Se perder, bebe pra esquecer”. Um convite tentador para quem gosta de futebol e de um choppinho postado nas redes sociais na internet chamou a atenção da reportagem do Visão Oeste para conhecer a galera da Osaschopp, a torcida organizada do Grêmio Esportivo Osasco. E que fique bem claro: só do GEO, nada de Audax!

Criada em 2012, a Osaschopp reúne 40 apaixonados pelo Grêmio Osasco. Sem parar de cantar e pular, eles empurram o time nos jogos no Rochdale e chegam a viajar para acompanhar o GEO nas competições que disputa, como a Copa Paulista e a Série A2 do Paulistão. Fazem vaquinhas e rifas para comprar bandeiras, instrumentos musicais para deixar a festa mais animada.
“A gente acompanhava o Grêmio Osasco já há um bom tempo. Nos encontrávamos todos os jogos em um bar próximo ao estádio do Rochdale e vínhamos juntos para o estádio. Acabou surgindo a ideia de criarmos uma torcida”, diz o presidente da organizada, o supervisor de laboratório Jonas Barreto, de 23 anos.

publicidade

Muitos garantem que a paixão pelo GEO, fundado em 2007, já é maior do que pelo clube que torciam na infância. “Já jogou Osasco e Corinthians, Osasco e São Paulo, contra o Santos, em [campeonatos de] juniores, Copa São Paulo. Somos Grêmio Osasco!”, afirma o presidente da organizada. “A gente pegou um amor muito grande pelo clube”, completa o estudante Ricardo Santos, 22.

“GEO é GEO, Audax é Audax” 

publicidade

Engana-se quem pensa que para os membros da Osaschopp a paixão pelo Grêmio Esportivo Osasco também passa para o Grêmio Osasco Audax, clube comprado pelo mesmo dono GEO, o banqueiro Mário Teixeira, que disputa a primeira divisão do Campeonato Paulista.
“Audax é Audax, Grêmio Osasco é Grêmio Osasco! O Audax é nosso rival”, diz Ricardo Santos. O presidente da Osaschopp, Jonas Barreto, destaca que “o Grêmio Audax é outro clube. Se o Grêmio Osasco acabar, a gente fica sem time para torcer”.

Os membros da organizada do GEO garantem que não se envolvem e que são “totalmente contra brigas”. “Existe uma liga nacional das torcidas chopp, que têm como lema principal ‘beber e torcer sem violência’. Só queremos apoiar o time que a gente gosta, na paz, fazer nossa festa”, afirma Jonas Barreto.
Sobre a proibição da venda de cerveja nos estádios, são enfáticos: “É ridículo. Proíbem e o pessoal bebe do lado de fora e entra bêbado”, analisa Ricardo Santos.

Rumo à rua Javari

O próximo jogo do GEO é contra o Juventus, no tradicional estádio da rua Javari, na Capital, neste domingo, 17, às 10h, pela sétima rodada da Copa Paulista. O clube osasquense ocupa o quarto lugar no grupo 3, com nove pontos.

Comentários