Osasco tem segunda escola ocupada por alunos contra “reorganização” de Alckmin

3
Escola estadual Coronel Antônio Paiva de Sampaio, em Quitaúna, foi ocupada nesta segunda / Foto: Paulo Marcelino

Escola estadual Coronel Antônio Paiva de Sampaio, em Quitaúna, foi ocupada nesta segunda / Foto: Paulo Marcelino
Escola estadual Coronel Antônio Paiva de Sampaio, em Quitaúna, foi ocupada nesta segunda / Foto: Paulo Marcelino

publicidade

Nesta segunda-feira, 16, um grupo de estudantes ocupou a escola estadual Coronel Antônio Paiva de Sampaio, em Quitaúna. A unidade é uma das 94 que serão fechadas no estado na “reorganização” promovida pelo governo de Geraldo Alckmin (PSDB).

É a segunda escola ocupada por alunos da rede estadual no município. Na quinta, 12, um grupo ocupou a escola Heloísa de Assumpção, no Km 18. Em todo o estado são 28 escolas ocupadas, segundo estimativas.

publicidade

As mudanças do governo paulista no ensino vão levar ao fechamento de duas escolas em Osasco (Antonio Paiva de Sampaio e Guilherme de Oliveira Gomes), 94 em todo o estado. Além disso, em todo o estado, 311 mil alunos terão de mudar de escola e 1,4 milhão serão diretamente impactados.

As ocupações começaram na semana passada na Grande São Paulo. Uma das principais mobilizações é na escola estadual Fernão Dias Paes, em Pinheiros, São Paulo, desde o início da semana. A mobilização teve registros de manifestantes agredidos por policiais.

publicidade

“Os alunos protestam contra a reorganização da rede. Em vez de diálogo, o governo envia policiais. Em vez de procurar entender as razões dos estudantes, professores e funcionários e rever seus planos, mostra-se intransigente e vai levar a ferro e fogo a tal reorganização adiante”, criticou a presidente da Apeoesp, Maria Izabel Noronha.

A reorganização vai separar a maioria das escolas em unidades de ensino fundamental 1, para crianças do 1º ao 5º ano; ensino fundamental 2, do 6º ao 9º ano; e ensino médio. A Secretaria de Estado da Educação afirma que no sábado, 14, as equipes gestoras, pais e responsáveis da rede estadual de ensino vão ter encontros, de forma simultânea, em todo o estado, para explicar o processo de reorganização.

Comentários

3 COMENTÁRIOS

  1. Os protestos contra a reorganização das escolas estaduais que está sendo implementadas pelo Governo de SP são atos políticos organizados pelo PT com o único objetivo de colocar a opinião pública contra o governador Geraldo Alckmin. Eles não se preocupam com a educação, só querem desgastar a imagem do governador. O discurso escatológico de Lula, as mentiras espalhadas pela Apeoesp e a participação do MTST e outros movimentos ligados ao PT nesses atos é a prova disso.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorCharge
Próximo artigoJustiça aceita denúncia contra ex-prefeito Quinzinho e mais 11 pessoas