PDT de Osasco projeta crescimento

0
O vereador Alex da Academia, a secretária Mônica Veloso, e o dirigente estadual, Lúcio Maluf

O vereador Alex da Academia, a secretária Mônica Veloso, e o dirigente estadual, Lúcio Maluf
O vereador Alex da Academia, a secretária Mônica Veloso, e o dirigente estadual, Lúcio Maluf

publicidade

Em reunião na quarta-feira, 4, o tesoureiro estadual do PDT, Lúcio Maluf, o presidente do PDT de Osasco, Milton Cavalo, a secretária municipal de Desenvolvimento, Trabalho e Inclusão, Mônica Veloso, e o vereador Alex da Academia discutiram os rumos do partido e estratégias para o fortalecimento da legenda nas eleições municipais de 2016.

“Vice de Lapas pode ser do PDT”

Após o encontro, Lúcio Maluf destacou, em entrevista, ações do partido no sentido de acentuar seu crescimento rumo ao próximo pleito. “Projetamos eleger no mínimo dois vereadores e influir diretamente na eleição majoritária da cidade”, afirmou.

publicidade

“Nós temos uma composição com o prefeito [Jorge] Lapas (PT) e, sem dúvida, a tendência é manter. Derrepente podemos ter uma composição em que o vice [de Lapas] possa ser até do PDT”.

Sobre a possibilidade de ficar com a vaga de vice na chapa de Lapas, Lúcio Maluf afirma: “temos que pensar grande porque o PDT já se credenciou a isto, com quadros de qualidade, que geram trabalhos de qualidade, políticas reconhecidas. [Comandamos] secretarias que funcionam, temos vereadores que funcionam e um partido instalado e vivo. Temos perspectivas de ampliar o partido”.

publicidade

Para a Câmara Municipal, os principais candidatos a vereador do PDT de Osasco em 2016 devem ser Alex da Academia, que tentará reeleição, e Mônica Veloso, que deve concorrer novamente após “bater na trave” em 2012.

“Partido vivo”
O dirigente estadual faz questão de elogiar o trabalho do diretório municipal do PDT, presidido por Milton Cavalo. “Osasco é uma referência para nós. É um partido vivo, que se reúne semanalmente, tem juventude, participação da mulher, do trabalhador”, afirma.

“É um partido plural, mas com uma ideologia definida. E as pessoas que dirigem o partido aqui têm um compromisso ideológico importante. São trabalhistas e lutam em defesa do emprego, das garantias dos trabalhadores e a educação como instrumento de alavancagem sócio econômica”, completa Lúcio Maluf.

Marta e Netinho podem compor “chapão” em SP

O PDT acaba de ganhar um reforço de peso em São Paulo: o vereador Netinho de Paula, que deixou o PCdoB. E mais nomes de destaque devem chegar ao partido em breve, afirma o tesoureiro estadual do partido, Lúcio Maluf, que ainda não cita nomes.

Especulações apontam que no pacote da migração de Netinho estaria o apoio do novo pedetista à reeleição do prefeito paulistano, Fernando Haddad (PT) em 2016. No entanto, Lúcio Maluf afirma que Netinho “é um possível candidato a prefeito de São Paulo”.

Além disso, o partido abriu conversas com a senadora Marta Suplicy, que deve deixar o PT para concorrer à Prefeitura de São Paulo. “A Marta simpatiza muito com o PDT, inclusive os CEUs, que ela implantou, foram sugestões do PDT e têm origem nos Cieps (Centros Integrados de Educação Pública), do [ex-governador do Rio de Janeiro, Leonel] Brizola”, destaca.

“Tivemos duas conversas e ela falou que não tomaria uma decisão [sobre seu futuro político] sem consultar o PDT. A expectativa é boa”.

De acordo com o dirigente, uma chapa formada por Marta candidata a prefeita com Netinho como vice na Capital “é possível”. “Seria um ‘chapão’ não é? Para ganhar a eleição”.

Lúcio Maluf avalia que, em meio a uma crise vivida pelo PT, “há um espaço grande no campo da esquerda, centro-esquerda”, que pode ser ocupado pelo PDT. “Com a queda, pelo menos temporária do PT, surge um espaço. O PDT é um partido muito forte, temos a quarta bancada do Senado, com seis senadores”.

Comentários