Piteri confirma candidatura e diz que Lins e Prascidelli não são oposição

1
Cláudio Piteri e sua esposa Viviane

Cláudio Piteri e sua esposa Viviane
Cláudio Piteri e sua esposa Viviane

publicidade

O ex-vereador Claudio Piteri (PPS) confirmou nesta semana que será candidato a prefeito de Osasco. Com convenção marcada para dia 31, o PPS e o PPL vão lançar Piteri em oposição ao atual governo, mas o grupo ainda não anunciou quem será o vice na chapa. Piteri diz que conversa com Delbio Teruel (PMN). “Temos posições políticas muito próximas”, afirma. No entanto, Teruel almeja a candidatura.

Piteri confirmou que foi procurado pelo prefeito Jorge Lapas (PDT), mas negou que o pedetista o tenha convidado para ser vice, como chegou a ser ventilado. “Conversamos de forma muito respeitosa. Ele me procurou apresentando o projeto dele para a cidade e achava que era possível nós somarmos”, disse. O ex-vereador, no entanto, voltou a dizer que o projeto do PPS é de oposição.

publicidade

“A oposição, no momento, tem três candidaturas: PSDB, PPS e PMN”, afirmou, excluindo, portanto, o vereador Rogério Lins (PTN) e o deputado federal Valmir Prascidelli (PT) do rol dos oposicionistas. Questionado sobre isso, Piteri provocou: “são candidaturas que têm a mesma raiz”. Segundo o pré-candidato, Lins e Prascidelli terão que explicar a mudança de discurso, já que participaram de quase todo o governo Lapas. “Eles que têm de se diferenciar do que falaram até hoje. Eu vou manter o que já vinha falando”, completou.

Sobre um possível apoio do PSDB à sua candidatura, Piteri mostrou-se cético. “É inegável minha relação com o governador Geraldo Alckmin. É um homem sério, tem uma administração responsável, mas é um homem de partido e vai apoiar o candidato do PSDB”, disse. Piteri vinha ocupando a vice-presidência da Fundação Casa durante toda a gestão Alckmin.

publicidade

O que pode levar a uma composição do PPS com o PSDB na cidade é a boa relação de Piteri com o vereador André Sacco (PSDB) e a notícia surgida nesta quarta-feira, 20, a respeito da permanência da inelegibilidade de Celso Giglio, provável candidato tucano à prefeitura.

Plano de governo
Claudio Piteri disse que em um eventual governo, uma de suas primeiras medidas seria a repactuação de todos os contratos da prefeitura, inclusive o da zona azul. “A zona azul é importante no Centro. Acho um equívoco na periferia”, criticou.

Outras medidas seriam “não gastar mais do que arrecada”, capacitação do servidor público e política de urbanização de áreas livres. “Já temos uma ideia de plano de governo concebida”, disse Piteri.

Comentários