Polícia encontra corpo com roupas que seriam de Amanda em cemitério clandestino

Polícia encontra corpo com roupas que seriam de Amanda em cemitério clandestino

5
Compartilhar

Nas buscas por Amanda Palha, de 26 anos, a polícia descobriu um cemitério clandestino que seria de um “tribunal do crime” em Embu onde três corpos foram encontrados. Um deles é de uma mulher vestindo roupas com as mesmas características das que Amanda foi vista pela última vez, no dia 12, perto de sua casa, em Osasco.

Publicidade

De acordo com o “Cidade Alerta”, da Record TV (assista abaixo), o corpo da mulher estava com calça jeans e blusa preta, mesmas caraterísticas das usadas pela osasquense na última vez que foi vista. Ela também usava uma sandália de borracha quando desapareceu, mas o objeto ainda não teria sido encontrado.

Os outros dois corpos localizados no local são de homens. Exames no IML vão ajudar a polícia a identificar os corpos.

Na semana passada, já havia sido encontrado, próximo à favela da Arábia, na região do Jaraguá, zona Norte de São Paulo, onde o celular de Amanda emitiu sinal pela última vez, outro cemitério clandestino, com quatro corpos, mas nenhum deles seria o de Amanda.

Mãe de quatro filhos, Amanda é ex-namorada de um chefe do tráfico da favela da Arábia. Conhecido como “Vampirinho”, ele era ligado ao PCC e foi morto em outubro em uma troca de tiros com a Rota.

Amanda e “Vampirinho”, morto em outubro, em uma troca de tiros com a Rota / Foto: reprodução
Publicidade

A osasquense havia iniciado recentemente um novo relacionamento, com um homem chamado Rodolfo, conhecido como “Dentinho”. O novo namorado se apresentou à família dela como cabeleireiro, mas também estaria ligado ao mundo do crime e não é visto desde o desaparecimento da mulher. É cogitada a possibilidade de o corpo dele ser o de um dos três encontrados no cemitério clandestino em Embu.

Uma testemunha afirmou que Amanda teria sido torturada durante dois dias antes de ser morta em um “tribunal do crime”, acusada de ter passado informações sobre ações de criminosos à polícia. Ela teria ido ao 8º DP de Osasco momentos antes de desaparecer.

O pai de Amanda, Pedro, fez um apelo aos envolvidos no sumiço da filha para que, ao menos, revelem onde está o corpo dela: “Se minha filha estiver morta, só entrega para a gente para a gente poder fazer o sepultamento dela dignamente”, afirmou Pedro, em entrevista ao “Brasil Urgente”. “A gente está sofrendo muito”.

A mãe de Amanda também falou o drama que vive desde o desaparecimento da filha: “Meu maior desejo é encontrar ela. Seja do jeito que for. Só”, disse.

Compartilhar


Comentários

5 Comentários

  1. O final dessa história fica de exemplo a esses jovens de hoje. Cuidado com quem irão se envolver. Não é querer ser santo porque ninguém é, só Deus. Escute sempre seus pais. Principalmente a m mãe. Pq ela sempre quer o seu bem!

  2. O mania do povo sempre julgando!
    Sempre mostrando o defeito ou as falhas alheias,sempre receitando o remédio para a cura dos problemas dos outros sabendo que não consegue resolver e nem solucionar os seus próprios problemas! Enfim tds nós corremos os riscos de perder filhos para o mundo! Só não corre risco quem não tem!

  3. Infelizmente é uma vida que se vai, mas por escolha própria. Que Deus console os pais e os filhos mais velhos.
    Sem apontamentos, mas olhem para a vida dela: 4 filhos, sendo 1 casal de gêmeos de 1 ano que nem com ela viviam, o namorado envolvido com o crime morreu em outubro, na sequência já estava com outro, provavelmente envolvido também.
    Pra piorar, se for verdade, ela resolveu delatar os bandidos para a polícia! Me desculpem, mas ela foi muito ingênua.
    Resultado deu nisso: morte.

  4. Ñ a dizer tds nos temos filhos e vivemos pela misericórdia de Deus na maioria 99 por cento da culpa é dos próprios filhos

Faça seu comentário

Mais notíciasCarrefour de Osasco deve receber mais um protesto no sábado (8) por morte de cachorro
Mais notíciasHoróscopo do Dia – Quinta-feira, 6 de dezembro