Preço da passagem de ônibus é reduzido

0
Tarifa deixa de ser R$ 3,30 e volta a custar R$ 3,00 / Foto: Eduardo Metroviche

Tarifa deixa de ser R$ 3,30 e volta a custar R$ 3,00 / Foto: Eduardo Metroviche
Tarifa deixa de ser R$ 3,30 e volta a custar R$ 3,00 / Foto: Eduardo Metroviche

publicidade

Leandro Conceição

O novo prefeito de Taboão da Serra, Fernando Fernandes (PSDB), revogou na quarta-feira, 16, o decreto do ex-chefe do Executivo, Evilásio Farias (PSB), que aumentou o preço da passagem de ônibus de R$ 3,00 para R$ 3,30, em dezembro. Com isso, a tarifa volta ao preço antigo.
A redução da tarifa deveria passar a valer a partir desta quinta, 17, mas a empresa responsável pelo serviço, a Viação Pirajuçara, alega que não foi notificada a tempo de alterar o valor cobrado no sistema de bilhetagem eletrônica e cobrou os mesmos R$ 3,30 pela passagem na data. A expectativa é que a redução ocorra até este fim de semana.
Segundo a atual administração municipal, a revogação do aumento da tarifa ocorre porque o reajuste, que começou a valer no fim de dezembro, não respeitou o intervalo previsto no contrato de concessão, de um ano após a alta anterior, em janeiro de 2012.

publicidade

Valor aumentou duas vezes em 2012

“O reajuste só pode ocorrer a cada 12 meses e foi dado antes”, explica o secretário de Transportes e Mobilidade Urbana, Rinaldo Tacola.
Além disso, a Prefeitura cobra da Viação Pirajuçara a apresentação da planilha de custos operacionais da empresa que presta o serviço para avaliar a necessidade e o valor de um possível reajuste, visando o equilíbrio econômico-financeiro do contrato, diz o secretário. “Não temos, por exemplo, o número de passageiros aferidos”.
O prefeito Fernando Fernandes diz que os dados sobre o transporte coletivo em Taboão são “uma caixa preta” e solicita a apresentação da planilha de custos da empresa desde o início do mandato.

publicidade

Pressão
A revogação do decreto que aumentava o valor da tarifa de ônibus em Taboão ocorre após pressão do movimento estudantil, que vinha realizando protestos desde que o reajuste começou a valer. Eles ganharam o apoio de vereadores. A Câmara chegou a ser pichada em protesto contra a alta.

Nova administração denuncia irregularidades

Desde que assumiu a Prefeitura de Taboão, em 1º de janeiro, Fernando Fernandes (PSDB) vem denunciando uma série de supostas irregularidades deixadas pelo antecessor, Evilário Farias (PSB).
Segundo relatório divulgado esta semana pela Secretaria de Educação, das 16 escolas de ensino municipal infantil (EMI) da cidade, 12 estão em “condições precárias”. Entre as 22 escolas de ensino fundamental, apenas uma apresenta condições adequadas.

As unidades de ensino têm problemas como paredes mofadas, vidros quebrados, vazamentos, tomadas soltas, infiltrações e falta de pintura.
“Além da situação estrutural precária, ainda há escassez de produtos de limpeza, papel sulfite e diários de classe”, diz o relatório.
Na semana passada, Fernandes denunciou dívida municipal de quase R$ 200 milhões deixada por Evilásio.

Comentários