O presidente do PDT de Osasco, Milton Cavalo / Foto: Eduardo Metroviche

O Movimento Sindical Nacional do PDT, presidido por Milton Cavalo, que também é presidente do diretório da legenda em Osasco, divulgou nota de repúdio pedindo a expulsão dos três senadores do partido que apoiaram a PEC do Teto de Gastos, que foi promulgada dia 15, congelando os gastos públicos por 20 anos.

publicidade

“Eessa PEC restitui um projeto neoliberal de concentração de renda e de conhecimento nas mãos e mentes de poucos é que reafirmamos: somos contra a restrição de recursos para Saúde e Educação, entre outras medidas instituídas pela PEC”, diz a nota.

Leia a íntegra da nota: 

“Nota de repúdio

publicidade

O Movimento Sindical Nacional do PDT vem manifestar o seu mais absoluto repúdio ao apoio dado pela bancada do partido no Senado a aprovação da PEC 55, a PEC do fim do mundo. A decisão individual dos senadores Lasier Martins (RS), Telmário Mota (RR) e o suplente Pastor Valadares (RO) contraria a decisão coletiva do Diretório Nacional do nosso partido e a grave e precisa ser punida à altura.

O PDT tem princípios, projeto e história. O principal fundamento dessas três bases é o trabalhismo, veementemente defendido e construído por Getúlio Vargas, João Goulart, Leonel Brizola e por toda a militância pedetista ao longo do tempo. Por entendermos que essa PEC restitui um projeto neoliberal de concentração de renda e de conhecimento nas mãos e mentes de poucos é que reafirmamos: somos contra a restrição de recursos para Saúde e Educação, entre outras medidas instituídas pela PEC.

publicidade

Tanto é que nosso presidente Carlos Lupi já articula a apresentação de uma ADI (Ação Direta de Inconstitucionalidade) ao STF (Supremo Tribunal Federal) em busca de derrubar a PEC 55. Para nós, ela rasga a Constituição de 1988, que, criada no contexto do pós-ditadura, ficou conhecida como Constituição Cidadã.

Somos fiéis a nossas convicções históricas e não admitiremos que elas sejam desvirtuadas por parlamentares como os senadores aqui mencionados. Esse tipo de postura não pode ser aceita, dado o contexto atual em que uma ofensiva sobre direitos trabalhistas e sindicais se avizinha, a começar com a votação da reforma da Previdência. Precisamos confiar que nossos parlamentares realmente irão defender nossos direitos. Por isso, defendemos a expulsão destes parlamentares como sanção a esta postura.

Milton Cavalo – presidente do Movimento Sindical Nacional do PDT”

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui