Problemas no Fórum de Carapicuíba serão analisados pelo Desembargador do TJ em reunião no dia 8 de agosto

0

Representantes da Apatej discutem demandas das Comarcas da região com desembargador do Tribunal de Justiça de São Paulo / Foto: Divulgação/Apatej
Representantes da Apatej discutem demandas das Comarcas da região com desembargador do Tribunal de Justiça de São Paulo / Foto: Divulgação/Apatej

publicidade

O presidente da Associação Paulista dos Técnicos Judiciários (Apatej), Mário José Mariano (Marinho), acompanhado do vice-presidente do Conselho Fiscal da entidade, Roberto Silva, se reuniu com o desembargador do Tribunal de Justiça (TJ) de São Paulo, Dr. Eduardo Cortez de Freitas Gouvêa, na quinta-feira, 9, no prédio da  Sessão de Direito Público para analisar os principais problemas relacionado as Comarcas da região oeste na Grande São Paulo.

No encontro foram discutidas as demandas relacionadas à 4ª Circunscrição Judiciária – Osasco, coordenadas pelo desembargador Cortez. Foram abordados os principais problemas, como as condições de infraestrutura dos prédios alugados para as Varas da Fazenda e da Família, o déficit de funcionários, desvio de função dos contadores e a reforma do Fórum de Osasco. Porém, o foco principal da reunião foi a situação do Fórum de Carapicuíba, um dos mais críticos da região.

publicidade

Segundo Marinho, o Fórum por estar em uma área livre, não oferece segurança para os servidores expostos a usuários de drogas nos arredores do prédio.

De acordo com Roberto da Silva, que é oficial de justiça e trabalha no local, muitos servidores são abordados com pedidos de dinheiro ou sofrem ameaças. Roberto relatou também que as aplicações de multas de trânsito se intensificaram nas ruas próximos ao Fórum, já que há um estacionamento destinado somente para juízes.

publicidade

Marinho lembrou ainda que a Prefeitura de Carapicuíba já doou terreno para a construção de um novo prédio, mas até agora não houve avanço. “O terreno já foi cedido pelo município, e fica próximo à Fatec, aguardamos agora o início das obras, mas enquanto isso não acontece, precisamos continuar lutando por melhorias”, ressaltou.

Após ouvir os relatos, o desembargador Cortez pré-agendou uma visita administrativa para o dia 8 de agosto.

A cidade possui hoje seis Varas que tentam dar conta da demanda gerada por cerca de 500 mil habitantes. “As pessoas estão descobrindo a Justiça, e precisamos garantir o acesso adequado a ela para dar conta da crescente demanda”, finalizou o desembargador.

Para os representantes da Apatej, esse foi um importante passo dado no sentido de fazer uma intervenção diplomática para atenuar os problemas até que o prédio do novo Fórum saia do papel e vire realidade na cidade.

Comentários