Projeto de lei quer proteger trabalhador do benzeno

3
Marcos Martins é deputado estadual pelo PT / Foto: Divulgação

Deputado é autor do projeto que baniu o amianto da indústria e do que restringiu o uso do mercúrio
Deputado é autor do projeto que baniu o amianto da indústria e do que restringiu o uso do mercúrio

publicidade

Você sabia que aquele combustível a mais que o frentista coloca no seu carro depois da trava automática da bomba ser acionada representa um risco para a saúde? O deputado estadual Marcos Martins (PT) apresentou projeto de lei que dispõe sobre a proibição de postos de combustíveis abastecerem os veículos após o acionamento da trava de segurança. A medida visa a proteger os trabalhadores dos malefícios provocados pelo benzeno.

PL pode mudar rotina nos postos de gasolina

“Enquanto um frentista segura a mangueira para completar o tanque de combustível após o acionamento da trava automática ele está inalando gases que contêm benzeno”, explica o deputado. De acordo com especialistas, entre os malefícios causados pelo benzeno estão tontura, sonolência, dores de cabeça e irritação das vias respiratórias. Já a exposição a longo prazo pode causar transtornos no sangue, como a redução do número de glóbulos vermelhos e anemia, além de danos no fígado, no sistema nervoso central e sanguíneo, prejuízo ao sistema reprodutivo e ao feto e até mesmo o câncer. Não existem níveis seguros de exposição.

publicidade

Para discutir o projeto de lei (247/2005) já foi realizada uma audiência pública na Assembleia Legislativa, no dia 27 de março. “Estamos em contato com trabalhadores de Guarulhos, São João da Boa Vista e várias cidades do estado, reunindo especialistas e participando das discussões, para esclarecer o assunto e colocá-lo em pauta”, diz Marcos Martins.
O projeto não afetaria os postos de combustíveis, pois praticamente todas as bombas já têm o sistema automático de travas, e a quantidade de combustível colocada após a trava ser acionada é irrisória. “O benzeno age silenciosamente, então por mais que estejam informados, muitos frentistas podem não entender os riscos reais da exposição”, afirma o deputado.

Projetos
Este é o terceiro projeto de lei apresentado pelo deputado estadual Marcos Martins com objetivo de controlar o uso de substâncias que prejudicam a saúde. Em janeiro do ano passado foi aprovado na Alesp a proibição do uso de mercúrio em termômetros e outros instrumentos. Também foi de autoria de Martins o projeto que baniu o amianto da indústria e a criação da Semana de Proteção contra o Amianto em Osasco, que foi realizada nesta semana.

publicidade

Comentários