Projeto que cria secretarias chega à Câmara Municipal

0

Waldyr Ribeiro deve comandar a Secretaria de Relações Institucionais / Foto: Ivan Cruz
Waldyr Ribeiro deve comandar a Secretaria de Relações Institucionais / Foto: Ivan Cruz

publicidade

Fernando Augusto

A Câmara Municipal de Osasco recebeu nesta semana o Projeto de Lei Complementar que cria três novas secretarias e uma coordenadoria na administração municipal. O projeto ainda vai tramitar pelas comissões antes de ser votado.
Na segunda-feira, 6, o prefeito Jorge Lapas (PT) e secretários se reuniram com os vereadores, exceto os da oposição, que não compareceram, para falar sobre as funções das novas pastas. O projeto cria a Secretaria de Relações Institucionais, de Planejamento e Gestão, de Comunicação, além da Coordenadoria da Juventude. A Secretaria de Governo será extinta.

publicidade

A Secretaria de Relações Institucionais terá o objetivo de promover a relação entre o governo, a Câmara Municipal e os partidos, além das organizações da sociedade civil. A Secretaria de Planejamento, que será comandada pela atual secretária de Governo, Dulce Helena, vai coordenar os projetos das demais secretarias, estabelecendo metas e avaliando a execução. A Comunicação, que atualmente é um departamento e tem Roberto Trapp no comando, ganha status de Secretaria.

“A secretaria de Governo cuidava de tudo isso, e uma só secretaria não consegue dar conta de fazer isso bem feito. A administração pública precisa se modernizar à medida que a cidade cresce”, diz o chefe de Gabinete da Prefeitura, Waldyr Ribeiro, que tem tratado o assunto junto aos vereadores e deve ficar à frente da Secretaria de Relações Institucionais.
Ribeiro diz que considera normais as críticas da oposição. Na terça-feira, 7, o vereador André Sacco (PSDB) disse ao Visão Oeste que a bancada tucana deve ficar contra o projeto. “Ainda não vi o projeto, mas, a princípio, sou contra qualquer aumento de secretarias. É aumentar gastos em atividades-meio e não em atividades-fim”, disse o vereador, que voltou a defender a volta das regionais nos bairros.

publicidade

Comentários