O plenário da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo aprovou, na quarta-feira, 21, o Projeto de Lei (PL) 247/15, de autoria do deputado estadual Marcos Martins (PT), que proíbe os postos de combustíveis de abastecerem os veículos após o acionamento da trava de segurança.

publicidade

Segundo especialistas, esta medida evita o desprendimento de boa parte dos gases que contém benzeno e ajuda a preservar a saúde dos trabalhadores e usuários dos postos de combustível.

O benzeno é um subproduto do petróleo, do carvão e do gás natural, podendo entrar no corpo através da respiração, do contato com a pele ou por ingestão.

publicidade
O deputado estadual Marcos Martins

A substância é considerada cancerígena e se acumula nas células gordurosas, podendo causar alteração no sangue e na medula óssea.

Além disso, as mulheres grávidas expostas aos vapores do benzeno correm o risco de ter sua gravidez interrompida.

publicidade
Categorias mais vulneráveis 

Hoje, os trabalhadores de plataformas de extração de petróleo e funcionários de postos de abastecimento de combustíveis são as categorias mais vulneráveis aos problemas causados pela substância.

“Embora o câncer seja uma das doenças mais preocupantes do nosso tempo, ainda hoje existem inúmeras substâncias que podem causar este tipo de enfermidade e o benzeno é uma delas”, afirma o autor do PL, Marcos Martins.

O projeto surgiu por iniciativa do deputado após ser procurado por representantes dos sindicatos de frentistas de várias cidades do estado, com Osasco, Guarulhos e Campinas.

Martins também é autor das leis que proíbem o amianto no estado de São Paulo e o mercúrio em equipamentos hospitalares, substâncias extremamente maléficas à saúde da população.

Após a aprovação o projeto segue para aprovação do Palácio dos Bandeirantes, onde poderá ser sancionado ou vetado pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB).

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui