Quanto pior, melhor? Para quem?

0

Jaci Tadeu é prefeito de Itapevi, empresário e engenheiro civil.

publicidade

Um olhar mais aprofundado sobre a questão da saúde pública de Itapevi mostra que o ‘caos’ tão propalado por membros da oposição e não passa da política do ‘quanto pior, melhor’, que atrasa a vida dos moradores. Afinal de contas, a Prefeitura continua investindo pesado no setor, sempre acima de 28% do orçamento municipal ao ano.

Nos últimos dois anos, entregamos duas novas unidades de saúde – uma no Jardim São Carlos e outra no Alto da Colina – e reformamos o posto do Jardim Santa Rita. Além disso, ampliamos a sede do SAMU 192 e estamos implantando um sistema eletrônico de agendamento de consultas.

publicidade

O maior investimento, no entanto, foi a moralização do atendimento médico na cidade. Implantamos na rede municipal de saúde o registro biométrico de ponto, o que garante que os profissionais cumpram integralmente sua carga horária de trabalho. Isso é respeito pelo dinheiro público e pelo cidadão.

Só que a Prefeitura não faz Saúde sozinha. O custeio da saúde pública passa pela vinculação de recursos municipais, estaduais e federais. E o Estado pouco tem ajudado Itapevi. Tanto é verdade que temos quatro grandes obras em andamento para a saúde. E em três delas, há participação da Prefeitura e do Governo Federal.

publicidade

São as construções da UPA 24 Horas, da UBS Vila Santa Rita e da USF Jardim Rosemary, imprescindíveis para o melhor atendimento à população de Itapevi e as três custeadas com repasses federais e municipais. Essas e uma infinidade de obras na cidade foram e são tocadas por meio dessa vitoriosa parceria.

Apenas uma obra tem recursos estaduais, conseguidos por emenda parlamentar – o Centro de Referência da Mulher. No entanto, os valores obtidos (R$ 500 mil) foram trazidos pelo deputado estadual Marcos Neves, de Carapicuíba. Nenhuma dessas ações mereceu o empenho de um deputado que dizia representar a cidade.

Aliás, se formos contar o trabalho desenvolvido por este cidadão, não creio que tenhamos texto para mais de dois parágrafos. Ao contrário, teremos muito lero-lero, papo-furado e promessas não cumpridas, como a conclusão do Corredor Metropolitano, e as construções da escola técnica e das estações ferroviárias de Ambuitá e do Cimenrita, obras estaduais que há anos aguardam sair do papel.

Hoje, felizmente, Itapevi conta com um deputado estadual que trabalha em prol de sua população. Trata-se de Igor Soares, que em poucos meses de atuação, já tem colhido excelentes resultados e pode, em pouco tempo, resolver a questão da tão sonhada escola técnica estadual. Algo que a política do ‘quanto pior, melhor’ levada às últimas consequências por alguns políticos dessa cidade, nunca deixou acontecer.

Só que nossa cidade não precisa do ‘quanto pior, melhor’, na qual quem ganha são aqueles que tem sede do poder. Até porque quem perde nessa política é o cidadão. E dessa política eu não faço parte.

Comentários