Quase 5 mil bebês nasceram na Maternidade de Osasco em 2018

5
Foto: Ana Paula Andrade

O Hospital e Maternidade Municipal “Amador Aguiar”, na zona Norte de Osasco, realizou 4,9 mil partos em 2018. É o que aponta levantamento divulgado pela Prefeitura nesta segunda-feira (8).

Cerca de 3 mil bebês vieram ao mundo através de parto normal e 1,8 mil com cesária. Também foram registrados seis partos normal gemelar e 41 partos cesárea gemelar, além de 8 nascimentos com fórceps.

Ainda de acordo com o balanço, o hospital registou o maior número de nascimentos em março, com 511 partos. O mês de maio vem em seguida, com 468 nascimentos.

Publicidade

No mesmo ano, o banco de leite da maternidade recebeu 534,1 litros de leite doados por 1.377 mulheres.

Foto: Ana Paula Andrade

Outros procedimentos

O hospital e maternidade é referência em partos de alto risco, segundo o Ministério da Saúde e, em 2018, realizou aproximadamente 66 mil procedimentos, como consultas, medicação e inalação, internação, entre outros.

A maternidade é a única que atende pelo SUS (Sistema Único de Saúde) em Osasco e, atualmente, conta com UTI (Unidade de Terapia Intensiva) Adulto, leitos de UTI Neonatal, Casa da Mulher, Banco de Leite e sala de cuidados das mães de prematuros.

Comentários

5 COMENTÁRIOS

  1. Minha filha passou varias vezes demora no atendimento , medicas mal educadas sem.carater , essa maternidade esta precisando de fiscalizacao , higienizaçao, funcionarios uma mudança drastica.nao recomendo mamaes vai para outra unidade. Rio pequeno, sanatorinho

  2. Ninguém lembra das crianças que nascem com lesão de plexo braquial estou há dois anos lutando para recuperar os movimentos do braço direito do meu filho, São muitos os casos desse tipo de lesão o que é uma verdadeira agressão brutal que deixa sequelas irreversíveis é um sofrimento que ninguém avalia hoje tem 15 dias que meu filho fez a segunda cirurgia no hospital São Paulo para recuperar a rotação do braço direito. São dezenas de crianças com braços e mãos atrofiados porque depois do parto e desse tipo de agressão ninguém presta assistência para criança nem para mãe atingir toda a família é um verdadeiro sofrimento.

  3. Ninguém lembra das crianças que nascem com lesão de plexo braquial estou há dois anos lutando para recuperar os movimentos do braço direito do meu filho, São muitos os casos desse tipo de lesão o que é uma verdadeira agressão brutal que deixa sequelas irreversíveis é um sofrimento que ninguém avalia hoje tem 15 dias que meu filho fez a segunda cirurgia no hospital São Paulo para recuperar a rotação do braço direito. São desenhos de crianças com braços e mãos atrofiados.

  4. Só não pedi a minha pq ainda encontrei um anjo lá. Pq se fosse por uma enfermeira Ati profissional hj n teria minha única fila. Profissional q humilha e maus tratos horrível.tenhi pavor dessa maternidade

  5. Deveriam ter contabilizado o numero de óbitos tb,que alias foram vàrios por pura negligência…isso ninguém conta.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anterior“O Conselho de Ética dará limites aos vereadores”, afirma Ribamar Silva, presidente da Câmara de Osasco
Próximo artigoAcaba nesta quarta prazo para se inscrever em concurso com 724 vagas para professores em Osasco