Queixas de empresas de ônibus contra Uber aumentam

Queixas de empresas de ônibus contra Uber aumentam

8
Compartilhar
Foto: SECOM/PMO

Crescem cada vez mais as reclamações de empresas de ônibus em decorrência da perda de passageiros para aplicativos de transportes, como Uber e 99.

Publicidade

Em Osasco, em novembro, elas se queixaram durante reunião do Conselho Municipal de Mobilidade Urbana. Agora, em pelo menos 15 cidades, empresas já acionaram o poder público cobrando o fim da modalidade Uber Juntos, segundo matéria do G1.

O tipo de serviço questionado permite a usuários que percorrem trajetos parecidos compartilharem a mesma corrida. Para as empresas de ônibus, isso configura transporte coletivo irregular.

“Em São Paulo, consórcios pedem compensação por prejuízos decorrentes da perda de passageiros e a Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU) diz que no ano passado apreendeu carros ligados a apps em situação de clandestinidade”, diz a matéria do G1.

As companhias de ônibus reclamam de “concorrência predatória”, já que os veículos de aplicativos não estão submetidos às mesmas regras, como gratuidades e cobrança de meia tarifa para estudantes.

Publicidade

Em Osasco, representantes das empresas de ônibus já afirmaram que “a proliferação de transportes irregulares realizados por uso de aplicativos, tais como Uber, vem causando queda significativa apenas nos passageiros pagantes, já que eles não permitem o transporte de gratuitos nesta modalidade, o que torna a participação do gratuito sobre o pagante [nos ônibus municipais] cada vez maior”.

O presidente da Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos (NTU), Otávio Cunha, define o Uber Juntos “táxi lotação travestido de nova tecnologia”.

“O Uber Juntos faz a mesma coisa [que o ônibus], que é chegar a alguns destinos a partir de pontos em que ele passa, sem ter que arcar com os ônus da regulação. Quando [o carro] pega quatro, cinco pessoas [em uma mesma corrida], muitas vezes o valor se aproxima do do transporte público. Isso tira passageiros e interfere em todo o cálculo complexo da tarifa”, disse, ao G1, Ivan Lima, advogado do Setpesp, sindicato que representa os consórcios.

Complemento ao transporte público

A Uber afirma que o Juntos não é uma modalidade de transporte coletivo, mas “um sistema que combina viagens individuais com trajetos convergentes para compartilhar o mesmo veículo”.

De acordo com a Uber, o serviço “complementa o transporte público, ampliando o acesso dos usuários à rede pública principalmente na região central.”

Compartilhar


Comentários