Rede de ensino de Barueri comemora crescimento no Ideb

3

Os dados do Ideb 2017 (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica), divulgados pelo Ministério da Educação dia 3, revelaram que cidade de Barueri atingiu notas 6,5 e 5,5 para o 5º e 9º anos, respectivamente.

publicidade

O resultado é um dos maiores avanços entre as cidades da região. As avaliações aconteceram nas 55 escolas de ensino fundamental da cidade.

Divulgado a cada dois anos (o primeiro foi relativo a 2005), o Ideb traz uma radiografia do nível de qualidade dos Ensinos Fundamental 1 (1º ao 5º ano, anos iniciais) e 2 (6º ao 9º ano, anos finais).

publicidade

De acordo com a secretária de Educação de Barueri, Flávia Moreno, os resultados progrediram bem e a educação da rede de ensino aponta para retomada de um importante crescimento. “Hoje temos um horizonte promissor. Parabéns a todos os alunos, gestores e professores”, avaliou.

A coordenadora pedagógica Maurylane Almeida Oliveira, a Mel, da Emef Sidney Santucci, do Jardim Júlio, também avaliou os resultados da escola no Ideb. “No início do ano passado, estabelecemos metas de estudo e incentivo aos alunos. Grupos foram criados entre os alunos dos nonos anos para monitorar os colegas com dificuldade. Além disso, os professores fizeram um trabalho forte de retomada do conteúdo para melhor assimilação dos alunos e aquisição das habilidades propostas. Foi um trabalho bem direcionado e estávamos muito ansiosos pelo resultado.”

publicidade

No cenário educacional de Barueri, uma série de escolas demonstraram crescimento nas notas. Dentre elas as Emefs “Sidney Santucci”, Complexo Educacional “Carlos Osmarinho”, “Dorival Faria”, “Yojiro Takaoka”, “Bruno Tolaine”, “Gilberto Florêncio” e “João Tibúrcio”.

Fatores

Gestores escolares comentaram sobre fatores para o avanço do município no Ideb. “A escola apostou na excelência no processo formativo dos estudantes, com especial atenção para a alfabetização e operacionalidade. A equipe de gestão e professores uniu forças em prol de um fator comum: a aprendizagem”, declarou Raimundo Junior, Doju, supervisor da Emef “Bruno Tolaine”.

“Utilizamos soluções simples, porém, planejadas e executadas com firmeza. Essas ações se constituem de avaliações constantes para identificar alunos com dificuldades, acompanhamento sistematizado do rendimento e frequência dos alunos, atividades extracurriculares, despertar no aluno a vontade de aprender, desenvolvimento de projetos de leitura e de aulas diferenciadas e, sobretudo, o envolvimento de toda comunidade escolar”, afirmou Vânia Santos, supervisora da Emef “Dorival Faria”.

Comentários