Rexona-Ades elimina Vôlei Nestlé/Osasco na semi da Copa Brasil

0
Time de Osasco perdeu por 3 sets a 1 / Foto: João Pires/Fotojump

Time de Osasco perdeu por 3 sets a 1 / Foto: João Pires/Fotojump
Time de Osasco perdeu por 3 sets a 1 / Foto: João Pires/Fotojump

publicidade

O maior clássico do vôlei feminino nacional teve todos os ingredientes que se espera de um grande jogo. A torcida que lotou o ginásio do Taquaral, em Campinas, na noite desta sexta-feira, 29, não se decepcionou. Garra, técnica e uma bela dose de emoção, o Vôlei Nestlé/Osasco lutou até o final, mas não conseguiu avançar à decisão da Copa Banco do Brasil 2016.

O time de Osasco foi superado pelo Rexona-Ades por 3 sets a 1, parciais de 25/22, 25/20, 20/25 e 30/28, em 2h13min. Agora, a capitã Thaisa e suas companheiras voltam suas atenções para a Superliga. Em ascensão na principal competição nacional, o time comandado por Luizomar encara o Pinheiros/Klar, na terça-feira, 2, às 19h30, no José Liberatti.

publicidade

Gabi, destaque e maior pontuadora da equipe com 17 acertos, ressaltou a evolução dentro do jogo e na temporada. “Nosso início foi abaixo. Não podemos jogar como no primeiro e segundo sets. Talvez se começássemos melhor conseguiríamos um melhor resultado. Saímos com 30 a 28 no quarto set tendo chance de fechar e levar para o tie-break. O importante é que o time está vindo em uma crescente e mostrou que tem capacidade para seguir evoluindo. Agora acabou a Copa Brasil e o foco é total na Superliga”, disse a ponteira.

O jogo

publicidade

O Vôlei Nestlé teve um início difícil. Com 5/2 para o rival, Luizomar parou o jogo para arrumar a casa. Aos poucos o time foi se encontrando, mas se acertou mesmo com as mudanças feitas pelo treinador. Com a entrada da ponteira Suelle, liberou a cubana Carcaces para se concentrar apenas em atacar, o time estabilizou o passe. Com isso, encostou no placar no 20/22, com destaque para Gabi, com seis pontos. No final da parcial, porém, o Rexona-Ades foi mais equilibrado e venceu por 25/22, em 31 minutos.

Diferente do primeiro set, o Vôlei Nestlé iniciou a segunda parcial ligado. Com o bloqueio bem na marcação (foram cinco pontos nesse fundamento) e virando no ataque, as comandadas de Luizomar assumiram a ponta no 6/4 com o ‘paredão` Thaisa. A partida seguiu parelha até o 12/11 em mais um bloqueio, desta vez de Van Hecke. A partir desse ponto, o Rexona encaixou uma sequência só interrompida no 12/18, quando Thaisa parou o ataque rival na saída de rede. E apesar de voltar a equilibrar as ações, a equipe de Osasco não conseguiu reverter o marcador e viu o Rexona abrir 2 sets a 0 após fazer 25/19, em 28 minutos.

Muito volume de jogo dos dois lados da quadra e um time determinado a não se entregar. Esta foi a tônica do terceiro set, vencido pelo Vôlei Nestlé por 25/20, em 31 minutos. As comandadas de Luizomar chegaram ao primeiro tempo técnico na frente e não mais deixaram a ponta. Adenízia, com seis pontos, e Gabi, com cinco acertos, foram os destaques, mas o time de Osasco contou com a colaboração de todas as suas peças, como as grandes defesas de Camila Brait e a melhora na distribuição das jogadas de Dani Lins.

O quarto set foi de arrepiar. Apesar de um início com problemas na recepção, o Vôlei Nestlé não deixou o adversário desgarrar. Com a entrada de Suelle no lugar de Carcaces, o passe melhorou e o time de Osasco seguiu ‘remando’, ponto a ponto, para continuar “respirando” na partida. O ponto de empate veio com um bloqueio de Thaisa e Van Hecke no 19/19. Gabi e Adenizia seguiram virando no ataque e a torcida foi à loucura com a raça das meninas de Osasco. No 24/25, em um lance de Adenizia pelo meio, o árbitro principal deu bola no chão e o de linha apontou a favor das cariocas. Em meio a polêmica e reclamações, o técnico Bernardinho levou cartão vermelho. Nova igualdade em 25/25. Thaisa ainda apareceu em dois bloqueios e o Vôlei Nestlé teve três chances de vencer a parcial. Porém, quem aproveitou foi o Rexona-Ades, que fechou o set em 30/28 e a partida em 3 sets a 1, em 43 minutos.

No Vôlei Nestlé jogaram: Dani Lins, Lise Van Hecke (8), Ivna (2), Gabi (17), Thaisa (14), Adenízia (16) e a líbero Camila Brait. Entraram: Suelle (3), Carcaces (11), Saraellen (1) e Diana. Técnico: Luizomar de Moura.

No Rexona-Adesl jogaram: Courtney Thompson (1), Monique (12), Natália (23), Gabi (20), Juciely (9), Carol (11) e a líbero Fabi. Entraram: Roberta, Lorenne (1) e Drussyla. Técnico: Bernardinho.

Final
O Rexona-Ades fará neste sábado, em Campinas, a final contra o Dentil/Praia Clube, que eliminou o Camponesa/Minas na semi.

Comentários