Rogério Lins questiona pesquisa em que aparece atrás de Giglio e Lapas

1
Rogério Lins é terceiro, com 9,8% / Foto: Leandro Conceição

Leandro Conceição

publicidade

Em coletiva de imprensa nesta segunda-feira, 15, Rogério Lins (PTN), candidato a prefeito de Osasco, pôs em dúvida a veracidade de pesquisa de intenção de voto em que aparece em terceiro, atrás de Celso Giglio (PSDB) e do atual prefeito, Jorge Lapas (PDT), que busca a reeleição.

A vice na chapa, Ana Maria Rossi, Rogério Lins, Francisco Rossi e Gelso de Lima / Foto: Leandro Conceição
A vice na chapa, Ana Maria Rossi, Rogério Lins, Francisco Rossi e Gelso de Lima / Foto: Leandro Conceição

O levantamento em questão, do Instituto Datavale, divulgado na sexta-feira, 12, pelo jornal Diário da Região, mostra Lins com 8% das intenções de voto, contra 24,7% de Giglio e 23% de Lapas, que estão empatados tecnicamente na liderança (a margem de erro é de 4 pontos percentuais). “Nossas pesquisas internas, nossas enquetes, mostram um cenário completamente diferente”, declarou Rogério Lins.

publicidade

A pesquisa mostra Lins em posição semelhante ao já apontado em levantamento anterior, do Instituto MAS, divulgado em junho pelo jornal Giro S/A, no qual o candidato do PTN também ficou em terceiro, com 8,8% das intenções de voto, atrás do tucano e do pedetista.

Coordenador da campanha de Rogério Lins à prefeitura, o ex-prefeito Francisco Rossi (PR) informou que a coligação vai contratar um instituto de pesquisas para fazer um novo levantamento. “Vamos contratar um instituto para apresentar, em 10, 15 dias, a realidade”, disse. “Não acredito nessas pesquisas que estão mostrando aí”.

publicidade

Rossi declarou ainda que o Instituto Datavale, que realizou a pesquisa mais recente, “tem um histórico com o PT”.

Ele também fez críticas ao governo Lapas e ressaltou que Celso Giglio está inelegível por ter tido as contas de quando foi prefeito rejeitadas pela Câmara Municipal. “Tudo leva a crer que o Celso não vai disputar a eleieção”, avaliou. “Até gostaria que o Celso disputasse a eleição, porque a gente ganharia no voto dele. A cada pesquisa ele está caindo”.

Rogério Lins também apresentou propostas de seu plano de governo, como o “Cartão Osasco” para priorizar o atendimento público a quem mora na cidade, semelhante ao “Cartão Barueri”, adotado na cidade vizinha, o aumento do efetivo da Guarda Municipal, projetos para a Saúde e a abertura de 2 mil vagas em creches já no início de gestão, entre outras ações.

João Paulo
Rossi voltou a negar os boatos de que o ex-deputado federal João Paulo Cunha (PT), que cumpriu pena após ser condenado no “mensalão”, esteja por trás das articulações da candidatura de Lins.

“Até gostaríamos que ele [João Paulo] estivesse conosco, mas ele está apoiando [a candidatura de] Valmir Prascidelli (PT) abertamente”, disse o ex-prefeito, sentado ao lado do ex-secretário municipal Gelso de Lima, que fazia parte do PT como homem de confiança de João Paulo e hoje atua na campanha de Rogério Lins.

Na pesquisa Datavale citada acima, foram entrevistados 600 pessoas nos dias 8 e 9 de agosto e o levantamento foi registrada com o número SP – 02821/2016/ TSE. Já a pesquisa do Instituto MAS ouviu 613 pessoas, entre os dias 25 e 27 de maio, e o levantamento foi registrado sob o número SP 02476-2016.

Comentários

1 COMENTÁRIO

  1. Nesta eleição de 2016 para prefeito do Município de Osasco meu voto será anulado em repúdio a todos os candidatos atuais que estão disputando a prefeitura, pois para mim teria que colocar na disputa à eleição para prefeito candidatos novos com novas idéias , com projetos voltados para melhoria da saúde, educação, segurança pública etc …. e não continuar esses que já provaram que nada ou pouco fizeram em prol do nosso municípiuo….. .. Obrigada Zelha Maria

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anterior1º Encontro de Cervejas Artesanais de Osasco acontece no domingo, 21
Próximo artigoBarueri abre matrículas para cursos gratuitos de informática