saída kamikaze

0

Fabio Rodrigues Pozzebom/Abr
Fabio Rodrigues Pozzebom/Abr

publicidade

O ex-ministro da Educação Cid Gomes deixa dirigindo a Câmara dos Deputados. Em sessão para dar explicações sobre as declarações de que há no Congresso Nacional “400 ou 300 deputados achacadores”, Cid apontou para o presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e disse: “Prefiro ser acusado por ele de mal-educado do que ser acusado como ele, de achaque”.

publicidade
Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorVisão Atenta
Próximo artigoPrascidelli critica PMDB e PSDB na CPI