Sem pagar fiança de R$ 300 mil, vereadores podem voltar à prisão

Caça Fantasmas// De acordo com TJ-SP, metade dos parlamentares de Osasco acusados pelo Ministério Público ainda não efetuaram o pagamento

0

Sete dos 14 vereadores e ex-vereadores de Osasco que tiveram prisão preventiva decretada em dezembro na Operação Caça Fantasmas, do Ministério Público estadual, não pagaram a fiança de R$ 300 mil estipulada pela Justiça, de acordo com o portal G1, e podem ter detenção determinada novamente pela Justiça. O prazo para o pagamento acabou na quarta, 4.

publicidade

De acordo com o Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), foram comunicados a pagamento das fianças pelo prefeito Rogério Lins (PTN), que disse ter feito um empréstimo bancário parcelado em 60 vezes para levantar os R$ 300 mil, André Sacco (PSDB), Jair Assaf (PROS), João Gois (PT), Josias da Juco (PSD), Alex da Academia (PDT), que ainda não pagou o valor integral, e Antonio Aparecido Toniolo (PCdoB).

Também são acusados pelo Ministério Público estadual de envolvimento em um suposto esquema de contratações de funcionários fantasmas na Câmara de Osasco os vereadores reeleitos Jair Assaf (PROS), Batista Comunidade (PTdoB), Francisco De Paula (PSDB), além dos ex-vereadores Maluco Beleza (PTB), Karen Gaspar (PTdoB) e Andrea Capriotti (PEN). De acordo com o TJ-SP, até está quinta não constava o pagamento de fiança destes acusados.

publicidade

Comentários

publicidade