Servidores reclamam de atraso de salários

0
Marmo Cezar teve registro negado e perdeu o mandato.

Marmo Cezar começa mandato tentando administrar crise com o funcionalismo / Foto: Marcio Koch
Marmo Cezar começa mandato tentando administrar crise com o funcionalismo / Foto: Marcio Koch

publicidade

O novo prefeito de Santana de Parnaíba, Marmo Cezar (PSDB), começou o ano com um abacaxi nas mãos: o atraso do pagamento do funcionalismo de dezembro. Além de não fazer o pagamento no prazo, segundo os funcionários, o antecessor, Silvinho Peccioli (DEM), não deixou dinheiro em caixa para saldar a dívida.
Os salários do funcionalismo são creditados sempre no dia 1º de cada mês, mas segundo os servidores havia um acordo para antecipar esse pagamento para dia 28 de dezembro, por causa do feriado de ano novo.
“Tenho 13 anos de prefeitura e isso nunca tinha acontecido. A gente queria fazer uma paralisação, mas eles podem acabar mandando embora o pessoal”, reclama uma servidora que pediu para não ser identificada.
“A culpa eu sei que não é dele [Marmo Cezar], mas ele precisa dar uma posição para a gente saber o que vai fazer”, diz.

“A culpa e não é dele, mas ele precisa dar uma posição”

A saída, negociada em reunião na tarde de quarta-feira, 9, entre o Secretário de Finanças, Paulo Renato, e representantes do sindicato dos servidores, seria usar os recursos do IPTU. Com os carnês distribuídos logo no início do ano, o pagamento do IPTU estava previsto para começar na quinta-feira, dia 10.
“O acordo foi eles pagarem [com esse recurso] cerca de 70% dos funcionários – quem ganha até R$ 3 mil – a partir do dia 11 [sexta-feira], e o restante no dia 18 de janeiro”, declarou Nelson Nunes, presidente do Sindicato dos Servidores Municipais de Santana de Parnaíba.

publicidade

18 de janeiro
A informação do sindicato, no entanto, conflita com a versão oficial, informada pela Secretaria de Comunicação da Prefeitura. Por telefone, o assessor de comunicação Marcos Aleixo, disse que todos os funcionários receberão no dia 18 de janeiro. A opção teria sido apresentada “por um grupo de funcionários”, “para que não gerasse privilégios”, justificou.
Procurados pela reportagem do Visão Oeste, nem o Gabinete do Prefeito nem a Secretaria de Finanças retornaram as ligações. A informação na Secretaria de Finanças era de que o secretário estaria ausente justamente tentando uma negociação com o banco para conseguir o pagamento a partir desta sexta-feira, 11.

Bronca política

publicidade

O presidente do sindicato dos servidores, Nelson Nunes, lamenta a situação, que atribui a uma “bronca entre grupos políticos”. “A bomba estoura na mão de quem não tem nada a ver”, reclama.
Segundo Nunes, muitos funcionários estão passando necessidade. “Tem gente que não tem dinheiro para pagar a condução para vir trabalhar”. Além do atraso de pagamento, no final do ano também deixaram de serem entregues as cestas natalinas que tradicionalmente eram distribuídas pela Prefeitura aos servidores.

Comentários