Sindicalistas cobram mais fiscalização

0

Dirigentes sindicais e ministro do Trabalho durante encontro no Sindicato dos Metalúrgicos / Foto: Eduardo Metroviche
Dirigentes sindicais e ministro do Trabalho durante encontro no Sindicato dos Metalúrgicos / Foto: Eduardo Metroviche

publicidade

Leandro Conceição

Durante encontro com sindicalistas da região na manhã de segunda-feira, 30, no Sindicato dos Metalúrgicos de Osasco e Região, o ministro do Trabalho, Manoel Dias, ouviu cobranças para que a pasta aumente o número de fiscais do trabalho e melhore a estrutura da Gerência Regional do Trabalho osasquense.
Hoje, a região conta com apenas oito auditores fiscais do trabalho na Gerência de Osasco, quando o ideal seriam 63, de acordo com levantamento entregue ao ministro pelo presidente do Sindicato dos Metalúrgicos, Jorge Nazareno.

“Superintendências estão sucateadas”

publicidade

Segundo o estudo, a região tem média de um acidente de trabalho a cada 15 dias e os fiscais do Ministério do Trabalho chegam a demorar mais de 80 dias para apurar os casos.
“Em 2006, tínhamos 26 auditores fiscais. Chegamos a ter sete fiscais. E tem fiscal se negando a ir à empresa com o dirigente sindical”, protestou Carlos Aparício Clemente, diretor do Sindicato dos Metalúrgicos de Osasco e Região.
Sobre a falta de estrutura na Gerência Regional, João Elias de Gois, presidente do Conselho Intersindical de Saúde e Seguridade Social (Cissor), afirmou ao ministro: “Se o senhor fosse auditor fiscal, interditaria [o prédio]”.

De acordo com os sindicalistas, o prédio tem problemas elétricos, há portas que ameaçam cair, e os funcionários enfrentam dificuldades no acesso à intranet, que os impede de acessar e imprimir documentos, entre outros problemas.
Luiz Arraes, presidente da Federação dos Empregados em Postos de Combustíveis do estado (Fepospetro) foi no mesmo tom: “As superintendências do trabalho do Brasil inteiro estão sucateadas”.

publicidade

Concurso
O ministro do Trabalho declarou que este ano será aberto um concurso público para a contratação de 846 auditores do trabalho e que há projeto de reformar a Gerência Regional do Trabalho de Osasco, assim como outras por todo o país. De acordo com ele, a gestão tem o objetivo de “modernizar o Ministério”.

Comentários