Sindicalistas cobram mais fiscalização

0

Dirigentes sindicais e ministro do Trabalho durante encontro no Sindicato dos Metalúrgicos / Foto: Eduardo Metroviche
Dirigentes sindicais e ministro do Trabalho durante encontro no Sindicato dos Metalúrgicos / Foto: Eduardo Metroviche

publicidade

Leandro Conceição

Durante encontro com sindicalistas da região na manhã de segunda-feira, 30, no Sindicato dos Metalúrgicos de Osasco e Região, o ministro do Trabalho, Manoel Dias, ouviu cobranças para que a pasta aumente o número de fiscais do trabalho e melhore a estrutura da Gerência Regional do Trabalho osasquense.
Hoje, a região conta com apenas oito auditores fiscais do trabalho na Gerência de Osasco, quando o ideal seriam 63, de acordo com levantamento entregue ao ministro pelo presidente do Sindicato dos Metalúrgicos, Jorge Nazareno.

“Superintendências estão sucateadas”

publicidade

Segundo o estudo, a região tem média de um acidente de trabalho a cada 15 dias e os fiscais do Ministério do Trabalho chegam a demorar mais de 80 dias para apurar os casos.
“Em 2006, tínhamos 26 auditores fiscais. Chegamos a ter sete fiscais. E tem fiscal se negando a ir à empresa com o dirigente sindical”, protestou Carlos Aparício Clemente, diretor do Sindicato dos Metalúrgicos de Osasco e Região.
Sobre a falta de estrutura na Gerência Regional, João Elias de Gois, presidente do Conselho Intersindical de Saúde e Seguridade Social (Cissor), afirmou ao ministro: “Se o senhor fosse auditor fiscal, interditaria [o prédio]”.

De acordo com os sindicalistas, o prédio tem problemas elétricos, há portas que ameaçam cair, e os funcionários enfrentam dificuldades no acesso à intranet, que os impede de acessar e imprimir documentos, entre outros problemas.
Luiz Arraes, presidente da Federação dos Empregados em Postos de Combustíveis do estado (Fepospetro) foi no mesmo tom: “As superintendências do trabalho do Brasil inteiro estão sucateadas”.

publicidade

Concurso
O ministro do Trabalho declarou que este ano será aberto um concurso público para a contratação de 846 auditores do trabalho e que há projeto de reformar a Gerência Regional do Trabalho de Osasco, assim como outras por todo o país. De acordo com ele, a gestão tem o objetivo de “modernizar o Ministério”.

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorGreve dos garis chega ao fim em Osasco
Próximo artigoPEC da Maioridade avança na Câmara