Sindicalistas e Fiesp criticam nova alta

0

Miguel Torres: “Devemos intensificar mobilizações” / Foto: Fábio Nunes
Miguel Torres: “Devemos intensificar mobilizações” / Foto: Fábio Nunes

publicidade

A oitava alta consecutiva da taxa básica de juros (Selic) foi criticada por sindicalistas e pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp). Na quarta-feira, 26, o Comitê de Política Monetária (Copom), do Banco Central, anunciou aumento de 0,25 ponto percentual, que deixou os juros em 10,75% ao ano.

“A decisão mostra que nós, trabalhadores, devemos intensificar as mobilizações para manter nossos empregos e garantir aumentos reais nas negociações das convenções coletivas. A alta irá prejudicar as categorias com data-base no 1º semestre”, disse, em nota, o presidente da Força Sindical, Miguel Torres.

publicidade

Comentários