Os metalúrgicos de Osasco e região vão somar forças a trabalhadores de outras categorias, que, organizados pelas centrais sindicais, realizam uma grande pressão sobre os deputados e senadores para que se posicionem contra a retirada de direitos que o governo Temer quer colocar em prática, por meio das reformas trabalhista e da Previdência.

publicidade

Nesta quarta-feira, 17, representantes dos trabalhadores farão visitas aos gabinetes dos deputados para buscar diálogo em relação as reformas. A pressão também acontece nas bases eleitorais dos parlamentares.

“Além disso, na quarta-feira, 24, vamos todos à Brasília, fazer uma grande e histórica Marcha contra a retirada de direitos. Caravanas de trabalhadores de todo o país devem chegar à capital federal, incluindo a caravana dos metalúrgicos de Osasco e região”, afirma a direção do Sindicato.

publicidade

A diretoria e os assessores do Sindicato dos Metalúrgicos de Osasco e Região vão estar em peso na Marcha. Por isso, nos dias 23, 24 e 25 de maio, não haverá atendimento nas subsedes, somente na sede. O trabalhador que desejar ir à Brasília deve entrar em contato com a diretoria.

As centrais também pretendem realizar um acampamento na Esplanada dos Ministérios, a partir desta semana, o Ocupa Brasília. Também há possibilidade de realizar mais uma greve geral em todo o país.

publicidade

Pressão é fundamental

“A pressão é fundamental para convencer os parlamentares a defender os interesses dos trabalhadores. Isso fica evidente, por exemplo, com levantamentos como o Placar da Previdência, do portal Estadão, que mostra que 225 deputados são contra a reforma da Previdência. Outros 145 não quiseram responder ao levantamento e 58 estão indecisos. Somente 82 deputados adiantam que são favoráveis”, observa o Sindicato.

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui