Sindicato empresarial de Osasco e região espera reabertura de bares e hotéis partir de 1º de junho

0
restaurante
Freepik

A pandemia do novo coronavírus trouxe uma crise mais acentuada e sem precedentes para alguns setores específicos da economia, entre eles o de turismo, hotelaria, bares e restaurantes.

publicidade

De acordo com o sindicato patronal do setor em Osasco e região, o SinHoRes – Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Osasco, Alphaville e Região, até 20% da empresas do setor podem desaparecer até o fim da pandemia. Além disso, cerca de 10 mil trabalhadores poderão ser demitidos das empresas até o final do ano na região abrangida pelo Sindicato, que inclui Osasco, Barueri, Santana de Parnaíba, Cajamar, Carapicuíba, Itapevi, Jandira e Pirapora do Bom Jesus.

“Fomos o primeiro setor a entrar nessa crise e seremos o último a sair, já que, mesmo após a reabertura dos estabelecimentos, ainda haverá medo e desconfiança por parte da população, que retomará suas saídas com o passar do tempo. Por isso, como parte do Comitê Econômico do Governo do Estado de São Paulo, conseguimos que compreendessem que o setor de hospedagem e alimentação fora do lar não suporta mais ficar fechado”, afirmou Edson Pinto, presidente da entidade.

publicidade

O SinHoRes tem a expectativa que no dia 1º de junho, o governador João Dória (PSDB) anuncie a reabertura gradual no estado, mas ainda tem dúvidas se a medida valerá de imediato para a capital e região metropolitana, mesmo com protocolos sanitários, ou se a região aguardará mais alguns dias.

“Desenvolvemos um e-book com orientações aos estabelecimentos com protocolos sanitários rígidos para o setor retomar as atividades com segurança e priorizando a saúde de seus colaboradores e clientes, além de produzirmos uma campanha em contraponto ao #FiqueEmCasa, que serão lançados juntos”, concluiu Edson.

publicidade

O ebook ainda não foi lançado, mas segundo Edson em breve poderá ser acessado no site do SinHoRes.

Comentários