Sindicatos da região fazem ato em Osasco no dia 11

0
Sindicalistas se reuniram para definir atos do próximo dia 11 / Foto: Eduardo Metroviche

Sindicalistas se reuniram para definir atos do próximo dia 11 / Foto: Eduardo Metroviche
Sindicalistas se reuniram para definir atos do próximo dia 11 / Foto: Eduardo Metroviche

publicidade

Leandro Conceição

As centrais sindicais convocaram protestos por todo o país para a próxima quinta-feira, 11. Em Osasco, manifestação deve reunir milhares de trabalhadores de toda a região, com início às 8h, em frente à metalúrgica Meritor.
Os manifestantes vão caminhar por ruas da região Central em direção ao Largo de Osasco. A expectativa é reunir pelo menos cinco mil pessoas, segundo a organização.

publicidade

Entre as pautas do ato estão: redução da jornada de trabalho de 44 para 40 horas semanais, fim do fator previdenciário, investimento de 10% do PIB na educação e aplicação de 10% do orçamento da União na área da saúde.
Os rumos do ato foram discutidos em reuniões de sindicalistas na manhã desta quinta-feira, 4, no Sindicato dos Comerciários de Osasco e Região (Secor). A mobilização também foi discutida durante reunião simultânea da CUT Osasco, na subsede do Sindicato dos Bancários.

“As pautas para o dia 11 são voltadas diretamente ao trabalhador, as 40 horas, o fim do fator previdenciário e outros problemas que afligem os trabalhadores e não foram resolvidos no governo Lula nem tiveram avanços no governo Dilma”, afirmou José Elias de Góis, presidente do Conselho Intersindical de Saúde e Seguridade Social de Osasco e Região (Cissor).

publicidade

“Depois dessas manifestações, esperamos que o governo esteja mais sensível para discutir nossas pautas”

Gilberto Almazan, diretor do Sindicato dos Metalúrgicos de Osasco e Região, lembra o histórico de lutas dos sindicatos pelas bandeiras relacionadas ao ato do dia 11: “Apresentamos uma pauta como a de hoje em 2010 para a então candidata [a presidente] Dilma [Rousseff]. E não tivemos resposta. Em março, fizemos a 7ª Marcha da Classe Trabalhadora em Brasília, que teve cerca de 70 mil trabalhadores, e nem a grande mídia nem o governo deram atenção à nossa pauta”.

Almazan avalia que as mobilizações pelo país tornam o momento propício para o ato. “Esperamos depois dessas manifestações populares que o governo esteja mais sensível para discutir as pautas com a gente”.
No entanto, Góis ressalta que “no nosso caso são protestos com objetivos, sabemos o que estamos reivindicando, não é um ato onde um pede isso, outro pede aquilo. Temos nossa pauta definida. Vamos mostrar o descontentamento pelo modo como as centrais, os sindicatos, vêm sendo tratados pelo governo federal e buscarmos o entendimento”. (Colaborou Auris Sousa)

Metalúrgicos se mobilizam 

De acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos de Osasco e Região, além dos metalúrgicos da cidade também participarão do ato do dia 11 de julho os trabalhadores de Barueri, Carapicuíba, Cotia, Itapevi, Jandira, Santana de Parnaíba, Pirapora do Bom Jesus, Vargem Grande paulista, Taboão da Serra, Embu das Artes e Itapecerica da Serra.
Para mobilizar a categoria, os diretores da entidade já realizaram assembleias e convocaram os trabalhadores para não entrarem no trabalho e seguirem para a empresa Meritor.

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorHoróscopo
Próximo artigoBancários protestam contra projeto