Sobre a taxa de juros

0

*Claudio Magrão

publicidade

A volta do aumento da taxa de juros estabelecida pelo COPOM, ontem, deixa clara as dificuldades que o Governo vem enfrentando para controlar a inflação.
Evidentemente que o mercado reaja de forma negativa diante disso e que os sinais de uma retração na economia do país, que já estão claros para todos, passe a preocupar diretamente o setor produtivo brasileiro.
Não podemos aceitar a volta de uma inflação descontrolada, mas também não podemos acreditar que o mecanismo de aumentar a taxa básica de juros seja a única forma de controlar um processo inflacionário. Na verdade, isso é apenas emergencial.

Medidas como um sério corte nos gastos públicos (gastos do Governo em sua própria manutenção) e investimentos rápidos e pesados na infra-estrutura do país para que possamos fomentar nossa produção interna, competitividade e baixa nos custos do setor produtivo de nossa economia, certamente seriam medidas duradouras e efetivas no controle da inflação.
Estamos atentos e mobilizados. Não podemos permitir que, por omissão do governo ou por interesses de maiores lucros de alguns pequenos grupos, a grande massa trabalhadora e assalariada acabe ficando com a conta para pagar!

publicidade

*Claudio Magrão é presidente da Federação dos Metalúrgicos de SP

publicidade

Comentários