Sobreviventes de envenenamento em Barueri têm alta e suspeito é preso

0
envenenamento barueri
Preso temporariamente na Cadeia de Carapicuíba, Vinícius passou a ser suspeito após dar informações contraditórias sobre a origem da garrafa com o líquido supostamente envenenado / Foto: reprodução/TV Globo

Três moradores de rua que estavam internados no Hospital Municipal de Barueri após tomarem uma bebida alcoólica supostamente envenenada no sábado (16) tiveram alta na manhã desta quarta-feira (20). O quarto sobrevivente, Vinícius Salles Cardoso, de 31 anos, que também estava internado, teve alta ontem e foi preso temporariamente como suspeito do crime. Quatro pessoas morreram após ingerir o líquido.

publicidade

Vinícius, que está detido na Cadeia Pública de Carapicuíba, passou a ser suspeito do crime após dar versões contraditórias à polícia. Primeiro ele disse que ganhou a garrafa na cracolândia, na região central São Paulo e a trouxe para dividir com os colegas em Barueri. Depois, disse que encontrou a garrafa com o líquido lacrada em uma rua de Barueri.

A advogada que o defende, Patrícia Carvalho, diz que Vinícius está confuso e sob efeito de medicamentos. “Entendo que a prisão neste momento foi precipitada, tendo sido imposta uma medida muito gravosa ao Vinícius que é, na verdade, vítima”, disse Patrícia, à TV Globo.

publicidade

Hipóteses

Além da suspeita sobre ele, outras hipóteses são investigadas, como a possível participação de comerciantes da região da Praça da Bandeira, onde as vítimas tomaram a bebida, incomodados com a presença do grupo na área e a de que a bebida na verdade não teria sido trazida pelo suspeito, mas entregue por uma pessoa ao grupo, como afirmou uma testemunha à TV Globo.

Outra hipótese cogitada é a de que as vítimas tenha sido uma fatalidade, após as vítimas misturarem medicamentos, entorpecentes e álcool.

publicidade

Morreram após ingerir a bebida Edson Sampaio da Silva, 40; Luiz Pereira da Silva, 49; Marlon Alves Gonçalves, 39; e Denis da Silva, 33.

Tiveram alta por volta das 10h30 desta quarta-feira. Renilton Ribeiro Freitas, de 43 anos; Silvia Helena Euripes, de 54; e Sidnei Ferreira de Araújo Leme, 38. Todos já foram ouvidos pela investigação.

Inicialmente foi divulgado que haveria um quinto sobrevivente, Paulo César Pedro, 41, mas depois foi constatado que ele não ingeriu o líquido.

A Polícia Técnico Científica realiza laudos necroscópico e da bebida, que devem ser concluídos nos próximos dias, para descobrir que substância matou e intoxicou as vítimas.

Comentários