Trabalhadores de Etecs e Fatecs entram em greve

1

IMG_7361Professores e funcionários das Escolas Técnicas (Etecs) e Faculdades de Tecnologia (Fatecs) estão em greve desde segunda-feira, 17. A paralisação é parcial, mas já atinge unidades de Osasco, Barueri e Carapicuíba. Os trabalhadores reivindicam a implantação do novo plano de carreira para as categorias.

publicidade

De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores do Centro Paula Souza (Sinteps), a greve começou em 80 unidades e na quinta-feira, 20, já alcançava 103 em todo o estado. Na região, a Fatec Osasco e a Etec Osasco II já aderem ao movimento grevista. A expectativa da entidade é de que, em breve, os trabalhadores da Etec Osasco I também façam parte da paralisação. A Etec e Fatec de Carapicuíba também estão paradas. Em Barueri a greve é parcial.

Segundo a presidente do Sinteps, Silvia Elena de Lima, cerca de 10 mil trabalhadores estão paralisados. Em algumas escolas, os alunos também resolveram apoiar o movimento. Isso porque desde 2011 as categorias esperam pela implantação do plano de carreira. “Os salários estão defasados. Em 2011 deu uma melhorada, mas agora a defasagem já está muito grande”, explica.
A presidente conta que em 2013 um plano de carreira foi acordado entre o Sindicato e o Centro Paulo Souza. “Não era o [plano] ideal, mas era bom”, ressalta. “Aquele plano já passou por muitas secretarias e já foi alterado. [Agora] os trabalhadores não conhecem o teor do plano”, completa.

publicidade

Sindicato prepara ato em São Paulo pelo plano de carreiras

Em resposta a greve, “os empregadores mandaram cortar o ponto dos grevistas”, revela Silva. Por este motivo e para fortalecer ainda mais a mobilização dos trabalhadores, nesta sexta-feira, 21, a partir das 14h, professores e demais funcionários farão um ato em frente à administração do Centro Paulo Souza, que fica na Santa Ifigênia.

publicidade

Na próxima terça-feira, 25, as categorias realizarão um grande ato no Vão Livre do Masp, na avenida Paulista. A perspectiva do Sindicato é que centenas de trabalhadores participem dos atos, inclusive os da região de Osasco.

Segundo Silvia a expectativa é que o projeto do plano seja encaminhado pelo governo à Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) no dia 28 de fevereiro. O prazo não atende às exigências dos grevistas, além disso, se a data for cumprida pelo Centro Paulo Souza, o Sindicato só saberá o teor do plano em 15 de março.

Comentários