Início Cidades Vaquinha virtual ajuda professor de música que luta pela vida após perder...

Vaquinha virtual ajuda professor de música que luta pela vida após perder os movimentos do corpo

0
vaquinha professor de música
Willians Paulino, de 42 anos, tem lutado pela vida desde de foi internado, em fevereiro / Fotos: Arquivo Pessoal

O professor de música Willians Costa Paulino, de 42 anos, viu a vida mudar rapidamente ao começar a enfrentar problemas de saúde, desde julho do ano passado. Em poucos meses, ele perdeu os movimentos do corpo, precisou interromper todas as atividades que exercia e segue internado em um hospital da rede pública, ainda sem um diagnóstico.

publicidade

Willians é morador de Bertioga, no litoral paulista, é casado e tem uma filha de 12 anos. A mulher dele, Mirian Costa Paulino, contou ao Visão Oeste que viu a situação do marido piorar a cada dia, em meio à longa e difícil busca por diagnóstico e tratamento. Ele está internado desde fevereiro, chegou a ficar na Unidade de Terapia Intensiva, teve 40% do rim comprometido, além de ter sido acometido por diversas infecções e pneumonia viral no período de internação.

“Eu ia visitar ele todo dia [na UTI], gastava quase R$ 50 de passagem por dia só para não deixar ele sozinho, já que não podia ficar com o celular, não tinha distração nenhuma, era só acordar, tomar banho, ser furado… Eu voltava pra casa arrasada por ver ele só piorando. Ele já não queria falar, já não queria comer…”, desabafou Mirian.

publicidade

Desde julho de 2021, quando começou a sentir formigamento e dormência nas pernas e mãos, Willians teve de mudar completamente a rotina, foi desligado da empresa na qual trabalhava e iniciou a busca para entender o que estava acontecendo. Com a perda gradual e rápida dos movimentos, Willians passou a usar fraldas e a depender da esposa para fazer atividades básicas, como ir ao banheiro e comer.

Os médicos chegaram a suspeitar da síndrome Guillain-Barré, uma doença rara e grave que causa a perda de sensibilidade e até paralisia muscular. No entanto, o diagnóstico ainda é uma incógnita. “A neuro que cuidou do caso dele descartou Guillan dizendo que o Willians tinha reflexos que essa doença não daria, mas continuou a pesquisa pra descobrir o que ele tinha. O Willians fez todo tipo de exame que você imaginar. Foram muitos exames, mas nada de aparecer um diagnóstico. Ele passou por vários tratamentos pra possíveis doenças, medicamentos fortíssimos, tudo sem resultados, sem diagnóstico concreto”, conta Mirian.

publicidade
willians professor de música vaquinha
Willians segue hospitalizado / Foto: Arquivo pessoal

Amigos se unem para ajudar Willians

O quadro de saúde de Willians preocupou familiares e amigos, de Itapevi e da capital paulista, que se mobilizaram para ajudá-lo com o tratamento, que inclui fisioterapia e uma série de medicamentos; e decidiram criar uma vaquinha online. “Meu amigo está precisando de uma força. Toda forma de ajuda é válida, seja financeira ou compartilhando com alguém”, afirmou Raul Rodrigues, de Itapevi, ao Visão Oeste.

“O remédio é super caro (o tratamento completo está em torno de R$ 300 mil) e a compra pelo SUS está complicada. Por isto decidimos criar a vaquinha e ajudar o nosso amigo a ter o tratamento adequado enquanto o remédio pelo SUS não chega”, disse Caique Renan Antunes, que também é amigo do professor de música e responsável pela Vakinha.

Quem quiser abraçar essa causa e contribuir, basta acessar o link “Ajude a salvar a vida de Willians”, onde também podem ser encontrada mais informações.

Comentários