Vereadores travam a pauta para pressionar Elvis

0
O vereador de oposição Régis Salles (PMDB) discursa na Câmara Municipal, cujas sessões têm sido alvo de protestos de servidores em greve / Foto: Sávio Barletta

O vereador de oposição Régis Salles (PMDB) discursa na Câmara Municipal, cujas sessões têm sido alvo de protestos de servidores em greve / Foto: Sávio Barletta
O vereador de oposição Régis Salles (PMDB) discursa na Câmara Municipal, cujas sessões têm sido alvo de protestos de servidores em greve / Foto: Sávio Barletta

publicidade

Com servidores municipais há 40 dias em greve, vereadores de Santana de Parnaíba decidiram não votar projetos até que o prefeito Elvis Cezar (PSDB) abra um canal de diálogo com as categorias que reivindicam melhoria salarial e de condições de trabalho. Nesta semana, mais uma vez guardas municipais, agentes de trânsito, motoristas e vigias foram à sessão da Câmara Municipal para protestar.

Oposicionista chama Elvis de “menino mimado” e “irresponsável”

O vereador de oposição Regis Salles (PMDB) foi quem sugeriu aos colegas a não votação dos projetos de lei que compõem a chamada Ordem do Dia.

publicidade

“É uma vergonha o que está acontecendo no nosso município. Ontem começou uma greve de fome, com homens acorrentados em frente à prefeitura. Tudo porque o prefeito se nega a conversar com a comissão”, acusou o parlamentar.

Ele pediu para que os vereadores da base aliada do governo articulem um diálogo entre os grevistas e a administração municipal. “Ou os vereadores da situação armam essa conversa ou não vamos votar os projetos”, disse.

publicidade

Regis também fez duros ataques a Elvis Cezar, a quem chamou de “mimado” e “irresponsável”. O prefeito vê sua base de apoio na Câmara ser reduzida, inclusive com a presidência do Legislativo ocupada por um oposicionista, o vereador Ronaldo Santos (PSB).

Outro revés para o governo foi a aprovação de requerimentos determinando a convocação de secretários municipais para prestar esclarecimentos na Câmara. Foram convocados os secretários Eduardo Espósito (Segurança Urbana), Evandro Barros (Obras), Jailton Aparecido (Educação) e Eliana Pereira Velloso (Saúde).

As audiências foram marcadas para esta quinta-feira, 14, quando falou o secretário de Segurança, e também dias 15, 18 e 21 desse mês, sempre às 10h no plenário.

Para lembrar
O clima de instabilidade política na cidade já causou confusão na Câmara Municipal. No dia 14 do mês passado houve discussão entre vereadores e servidores no plenário e, após a sessão, o vereador Marcos O Tonho (PSDB) chegou às vias de fato com vigias em greve no hall do prédio da Câmara. A confusão teve de ser apartada por seguranças e funcionários do Legislativo.

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorVisita ao Icesp
Próximo artigoEditorial – Política e responsabilidade