Vereadores votam contra cassação do prefeito de Jandira

0

IMG_20160630_105516877Em sessão extraordinária tumultuada durante esta quinta-feira, 30, a maioria dos vereadores da Câmara de Jandira (9 a 4) votaram contra a cassação do prefeito Geraldo Teotônio da Silva, o Gê (PV). Ele foi acusado de crime de responsabilidade, por supostas irregularidades na contratação da organização responsável pela gestão do Hospital Municipal, a Iages, que recebe R$ 1,8 milhão mensais do município. A administração municipal nega a prática de atos ilícitos.

publicidade

A Comissão Processante para apurar denúncias relacionadas ao Hospital Municipal havia sido instalada em maio. Entre as suspeitas investigadas estão irregularidades na contratação da Iages, pagamentos indevidos à instituição, como alugueis de imóveis em Ribeirão Preto, interior paulista, e pagamento de diárias em hotel de luxo com recursos que deveriam ser destinados ao hospital.

Na sessão, o advogado de Gê, Marco Toscano, admitiu irregularidade nos recursos usados para estes fins, mas que a prefeitura obteve a devolução dos recursos junto à Iages.

publicidade

Também estão incluídos no processo relatórios do Conselho Regional de Medicina de São Paulo (Cremesp) e do Conselho Regional de Enfermagem (Coren) que indicam que a unidade de saúde funciona em condições precárias.

O relator da Comissão Processante, vereador Altamir Cypriano, o Mi (DEM), apresentou parecer pela cassação do prefeito. “O senhor Geraldo Teotônio da Silva praticou infrações político-administrativas que devem ser sancionadas com a cassação do mandato”.

publicidade

Defesa fala em processo “recheado de suposições equivocadas”

Já o advogado de Gê, Marco Toscano, declarou que o processo “está recheado de suposições totalmente equivocadas”. Além disso, “o prefeito está tranquilo no que diz respeito à sua responsabilidade pessoal diante da acusação que lhe foi feita”.

Toscano admitiu ainda a possibilidade da abertura de um novo processo licitatório para trocar a administradora do hospital. “Quando do momento da renovação, a administração municipal não tinha elementos técnicos suficientes para, dentro da lei, rescindir o contrato. Talvez hoje tenha”.

Já o vereador Mi afirma que, mesmo barrado na Câmara, o processo contra Gê será encaminhado ao Ministério Público. “Fizemos nosso papel, conseguimos provar que há desvio de dinheiro e vamos encaminhar para a promotoria pública. Se o Legislativo não fez seu papel, espero que a promotoria pública faça e afaste o prefeito”.

Em meio à crise política, Gê garante avanço em projeto de hospital estadual

Na véspera da votação de seu processo de cassação por denúncias de irregularidades no hospital de Jandira, o prefeito de Jandira, Geraldo Teotônio, o Gê (PV), foi ao Palácio dos Bandeirantes e conseguiu, junto ao governador Geraldo Alckmin (PSDB), o anúncio da liberação de recursos para a elaboração do projeto executivo de um futuro hospital estadual na cidade, que deve substituir a problemática unidade municipal.

“Já tem o terreno, já tem o projeto básico e nós estamos transferindo R$ 898 mil para que a prefeitura contrate o projeto executivo detalhado, [com as partes] hidráulica, elétrica, arquitetura, tudo, para, em seguida, a obra poder ser licitada. É o primeiro passo de uma grande obra”, declarou Alckmin.

Anunciado por Alckmin no início de 2014, o hospital estadual de Jandira deve ser construído em terreno cedido pela prefeitura ao lado do Senai, na avenida Carmine Gragnano.

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorFrases da semana
Próximo artigoVisão Atenta: bastidores da política regional