Visão Atenta

0

Vergínio e o vento
Em discurso durante a primeira sessão do ano na Câmara de Osasco, na terça-feira, 5, o deputado estadual Osvaldo Vergínio (PSD), que assumiu o cargo em janeiro, falou sobre um dilema vivido em seus primeiros dias na Assembleia Legislativa. “Falaram pra mim ‘esquerda de um lado, direita do outro’. Um dia fiquei do lado da esquerda, no outro da direita. Falaram: ‘Osvaldo, você é de onde?’. Eu sou de onde o vento me levar”.

publicidade

Vem me ver
Vergínio também encheu a Câmara de Osasco de elogios. Depois, a esposa dele, a vereadora Andrea Vergínio Capriotti (PSD), brincou: “Ele falou que gosta desta Casa. Pensei que ele vinha aqui para me ver”.

Cemitério
O vereador Alex Sandro de Souza Sá, o Alex da Academia (PDT), pediu do prefeito Jorge Lapas (PT) a reforma do cemitério do Jardim Santo Antônio. “As pessoas vão ali num momento de sofrimento e precisam ter o mínimo de conforto possível”, declarou o pedetista.

publicidade

Salário
Os vereadores da Câmara Municipal de Taboão da Serra aprovaram, por unanimidade, na sessão de terça-feira, 5, o aumento salarial para médicos, enfermeiros, auxiliares e dentistas da rede municipal. A proposta foi enviada pelo prefeito Fernando Fernandes (PSDB), que explicou que o aumento era necessário já que o salário no município estava abaixo do mercado e os profissionais buscavam outras cidades. Os médicos recebiam R$ 25,00 por hora trabalhada e passam a receber R$ 60,00.

Aluguel social
A Câmara de Barueri aprovou esta semana, na primeira sessão ordinária do ano, a criação do Programa de Aluguel Social no município. A proposta, enviada pelo Poder Executivo, prevê o auxílio a famílias de baixa renda que tiverem que deixar suas residências em situações extremas, como desastres ou risco iminente à integridade física dos moradores.

publicidade

ONGs
Em discurso na Câmara de Barueri, o vereador Saulo Góes (PDT) defendeu maior rigor no repasse de verbas para ONGs. Para ele, muitas instituições sobrevivem apenas à custa dos cofres públicos, o que descaracteriza o aspecto não governamental das entidades. “As ONGs não podem viver apenas de dinheiro público. Elas precisam buscar alternativas para viabilizar seu funcionamento”, declarou.

Comentários