Visão Atenta

0
Foto: Reprodução

Presidência
As articulações para a próxima Legislatura foram ofuscadas pelo escândalo político na Câmara de Osasco, mas continuam. Os vereadores Elissandro Lindoso, o Doutor Lindoso (PSDB), e Ribamar Silva (PRB), são fortes candidatos à presidência da Casa. O tucano, que foi campeão de votos no município, com 6.214, se diz “disposto a encarar, a aceitar o desafio”. Ribamar declara que “todo mundo tem vontade de ser presidente da Câmara de Osasco”.

publicidade

“Agiram errado”
Sobre a Operação Caça Fantasmas, Ribamar Silva, que é irmão de Rogério Silva (PRB), um dos vereadores presos, saiu em defesa dos acusados. “Isso mancha a Casa (Câmara). Agiram errado com os vereadores. Estavam sendo investigados e de repente veio o mandado de prisão, foram tratados como bandidos”. Ele também criticou a cobertura da imprensa sobre o escândalo. “A mídia nacional já coloca eles [os vereadores com prisão decretada] como bandidos”.

Reflexo
Já Lindoso avalia que o escândalo reflete até em quem ainda não assumiu o cargo. “O pior é para a classe política. A população nivela por baixo. Então, todo mundo é ‘ladrão’. Ando na rua e o pessoal fala, faz comentários pejorativos, fica difícil”, afirmou. “Entristece, mas não tiro a razão deles [da população]. O atual sentimento nacional é de ver político como ladrão, coisa ruim. E a gente tem que tentar mudar isso”, completou o vereador eleito.

publicidade
Foto: William Galvão

Aquecimento
Para Lúcia da Saúde (PSDC) e Pelé da Cândida (PSC), eleitos em outubro, assumir como suplentes na reta final da Legislatura é um aquecimento para quando forem ocupar suas cadeiras na Câmara Municipal.

Esclarecimento
A defesa do prefeito eleito de Osasco, Rogério Lins (PTN) faz questão de esclarecer que ele não está foragido, como dizem algumas publicações, e que a juíza do caso negou o pedido para inclusão de seu nome na lista da Interpol.

publicidade
 Foto: Eudes de Souza/CMO

Comentários