Visão Atenta

0

Ao ataque
A candidata a deputada estadual Ana Paula Rossi (PR) e o pai dela, o ex-prefeito de Osasco Francisco Rossi, partiram para o ataque contra o ex-aliado Celso Giglio (PSDB), deputado estadual candidato à reeleição. Em um jornal de campanha de Ana Paula, Rossi lembrou que, nas eleições municipais de 2012, quando o tucano era prefeito e a filha dele vice, “Celso Giglio traiu 149.579 eleitores, que perderam o seu voto”.

publicidade

Impugnado
Isso porque Giglio insistiu em manter a candidatura a prefeito de Osasco mesmo com problemas na Justiça Eleitoral, devido à rejeição das contas dele quando prefeito na Câmara Municipal. Com a confirmação da impugnação de Giglio, os votos que ele teve a prefeito foram anulados e Jorge Lapas (PT) assumiu a prefeitura. “O Celso perdeu no seu ‘quintal’ e o PT não tem nada a ver com isso. O mais sensato teria sido o Celso ter renunciado e deixado a Ana Paula em seu lugar. Afinal, ela era a vice dele e teria ganhado a eleição com um “pé nas costas”. Seria hoje a prefeita de Osasco”, avalia Francisco Rossi.

De bandeja
Além do jornal, a campanha de Ana Paula Rossi distribuiu esta semana uma carta assinada por Francisco Rossi com diversas críticas ao ex-aliado: “Celso Giglio entregou de bandeja a Prefeitura para o PT, ao mesmo tempo calou a voz de minha filha na Câmara Municipal”.

publicidade

Deferido
O Tribunal Superior Eleitoral deferiu esta semana o registro da candidatura de Délbio Teruel a deputado federal. “[A decisão] só vem a confirmar o que aconteceu em 2012 quando fui candidato a prefeito e também tentaram me impugnar injustamente”, declarou Délbio em seu perfil no Facebook. Ele havia tido a candidatura indeferida pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) devido à desaprovação das contas dele pelo Tribunal de Contas do Estado quando presidiu a Câmara Municipal de Osasco, em 2002.

Reforma política
Os candidatos do PSDB à presidência, Aécio Neves, e ao governo do estado, Geraldo Alckmin, defenderam em Osasco dia 27 uma reforma política que reduza o número de partidos.

publicidade

Comentários