Voluntários conectam quem precisa com pessoas que podem ajudar em Osasco e região

0
voluntários osasco Projeto Mais Vida
O Projeto Mais Vida funciona como uma ponte, que liga pessoas em situação de vulnerabilidade com quem pode contribuir, seja com alimentos, gás de cozinha, roupas, entre outros / Fotos: reprodução

O Projeto Mais Vida reúne cerca de 100 voluntários, que recebem pedidos de ajuda de pessoas em vulnerabilidade social em Osasco e região, e se mobilizam em busca de pessoas que possam atendê-los. Os pedidos são dos mais variados, como roupas, alimentos, cadeiras de rodas, gás de cozinha e apoio emocional.

publicidade

O foco do projeto está em Osasco, mas a iniciativa alcança pessoas que moram em Carapicuíba, Barueri, Itapevi e na capital paulista. Além das ações para arrecadação de recursos, o Mais Vida realiza um trabalho de acompanhamento para recolocação no mercado de trabalho. O viés de incentivo também é um meio utilizado por psicólogas voluntárias, que atendem pessoas com baixa auto estima e precisam de acompanhamento emocional.

“Cadastramos pessoas em vulnerabilidade social extrema e partimos para as campanhas de arrecadação. Contamos a história de vida dessas pessoas e quem se solidariza com o caso, pode levar a doação ou combinar a retirada com o assistido. Já conseguimos cadeiras de rodas, roupas para recém-nascidos e centenas de cestas básicas. Em algumas situações, chegamos a realizar vaquinhas virtuais para atender às necessidades daqueles que nos procuram”, explica a pedagoga Camila Soares, uma das voluntárias responsáveis pelo Projeto Mais Vida.

publicidade

Júlio César, morador do Jardim Baronesa, em Osasco, foi uma das pessoas alcançadas pelo grupo. Formado em administração, recursos humanos e gestão pública, o osasquense mora com a mãe, mas está desempregado e enfrenta diversas dificuldades financeiras. Ele chegou ao projeto em busca de alimentos e gás de cozinha.

Poucos dias após a divulgação de sua história, Júlio recebeu as doações. Agora, o Mais Vida segue engajado para que o osasquense consiga também um emprego. “Nós temos uma satisfação muito grande em servir. Queremos ofertar um pouco do que temos, nem que seja apenas uma palavra de esperança, e ficamos gratos quando vemos os resultados”, destaca Camila.

publicidade
Projeto Mais Vida Osasco
Foto: reprodução

A iniciativa também ajudou a dona Roseli, que sofre de uma síndrome chamada Churg Strauss, uma doença pulmonar que na fase mais avançada faz com que a pessoa perca a capacidade de se locomover. Roseli precisava de uma cadeira de rodas, mas a família não tinha condições e entrou em contato com o Mais Vida.

Após a publicação da história de dona Roseli, o osasquense David Almeida se sensibilizou e doou a cadeira de rodas. Nas redes sociais, o jovem contou que precisou de uma cadeira logo após sofrer um acidente, mas não esperava que conseguiria alcançar outra vida depois de se recuperar.

Projeto Mais Vida Osasco
Dona Roseli / Foto: reprodução

“Sinceramente, não tenho palavras para descrever tamanha alegria em saber que alguém ficou muito feliz com algum gesto meu. Muitos acompanharam de perto meu acidente e sabem que não foi nada fácil, mas desde o início, pude ver que tudo tinha um propósito de Deus. Precisei muito de uma cadeira de rodas e com a ajuda de todos [os meus] amigos conseguimos achar rapidamente. A cadeira foi essencial para facilitar a minha vida e das pessoas mais próximas que cuidavam de mim. E quem diria que hoje eu estaria podendo fazer o bem a outra pessoa. Ver essa felicidade estampada não tem preço”, disse David.

Uma verdadeira rede de apoio

O projeto, que nasceu de uma ideia e não tinha nem mesmo um nome, ganhou um grupo no WhatsApp formado por 100 pessoas, em sua maioria, mulheres. Por meio dele, os voluntários compartilham as histórias, discutem as ações e definem outros detalhes para que o projeto alcance cada vez mais pessoas. A iniciativa tem ao menos 10 responsáveis pela administração e coordenação das ações.

Além de Camila Soares, Hérica Monteiro, Thais Barbosa, Elisângela Baron, Silvia Cristina Tavares, Diego Gagetti Giliotti, Eder Gonçalves, Angelo Neves, Sueli Rocha e Willian Araújo fazem parte do grupo de voluntários. Pessoas comuns, que possuem famílias, profissões, entre outras responsabilidades, mas que decidiram dedicar parte do tempo para ajudar aqueles que mais precisam.

Todos os alimentos doados ao Projeto são destinados para pessoas em situação de vulnerabilidade / Foto: reprodução

“Houve casos de voluntários levaram um guarda-roupa em um carro simples, somente para atender ao pedido de uma pessoa que não tinha onde guardar as roupas da família. Por esse motivo, estamos nos concentrando em itens mais essenciais, como alimentação e vestimentas”, destaca a pedagoga.

Os voluntários reúnem os pedidos, que acabam sendo maiores do que as doações, em um banco de dados para facilitar as ações. Camila explica que o principal desafio para desenvolver os trabalhos é dar conta da demanda. Segundo a voluntária, é necessário uma logística para receber as doações, organizar roupas por idade e gênero, por exemplo, e destinar os itens conforme às necessidades das pessoas.

Foto: reprodução

Na página Projeto Mais Vida no Facebook, é possível acompanhar a publicação das histórias, os pedidos de doações e os resultados obtidos.

Contribua com o Projeto Mais Vida

O projeto é resultado de atividades solidárias que já aconteciam em Osasco e região, mas foi oficializado neste ano. Atualmente, existem quatro pontos de coleta em comércios e residências de voluntários, espalhados por Osasco.

Confira os pontos de arrecadação de doações:

Loja ON LINE Celulares // Endereço: avenida João de Andrade, 793, Jardim Santo Antônio

Jextell Excelência em Celulares // Endereço: avenida João Ventura dos Santos, 843, Helena Maria ( Em frente ao 10º DP)

Residência da voluntária Sueli Martins da Rocha (coleta das 12h às 18h) // Endereço: Rua Deputada Ivete Vargas, 27 – Jardim Elvira

Residência do voluntário Willian Araujo (coleta das 12h às 18h) // Endereço: avenida Osvaldo Costa, 324, Vila Menck

Comentários