Início Cidades Comércio de Osasco tem pior resultado do estado em março

Comércio de Osasco tem pior resultado do estado em março

0
Foto: Lucas Alves / Visão Oeste

Projeto que permite a terceirização da atividade-fim é uma das principais preocupações / Foto: Eduardo Metroviche
Foto: Eduardo Metroviche

publicidade

O faturamento do comércio varejista da região de Osasco teve o pior desempenho no estado de São Paulo em março. Na comparação com o mesmo mês em 2015 foi registrada queda de 18,8%. Os dados são da Pesquisa Conjuntural do Comércio Varejista no Estado de São Paulo (PCCV), realizada mensalmente pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (Fecomercio-SP), com base em informações da Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo (Sefaz-SP).

Em todo o estado a queda foi de 2,6% e, no acumulado de 12 meses, a retração é de 6%. Os dois piores desempenhos foram observados nas regiões de Osasco (-18,8%) e ABCD (-3,8%). Já as regiões do Litoral (7,8%) e Marília (6,7%) foram as melhores do estado.

publicidade

Das nove atividades pesquisadas, seis registraram queda nas vendas em março, com destaque para: lojas de eletrodomésticos, eletrônicos e lojas de departamentos (-20,5%), materiais de construção (-15,0%), lojas de vestuário, tecidos e calçados (-10,2%) e concessionárias de veículos (-7,5%), que juntas pressionaram negativamente o resultado geral com 4,6 pontos porcentuais (p.p.). Entretanto, os setores de farmácias e perfumarias (9,5%), supermercados (6,7%) e lojas de autopeças e acessórios (1,0%) apresentaram crescimento no período e amenizaram a queda geral em 2,7 p.p.

Segundo a assessoria econômica da Fecomercio-SP, o desempenho varejista parece ter retomado seu ciclo recessivo dentro dos mesmos padrões que vem sendo notados desde 2014, com quedas agudas e sucessivas nos bens duráveis, pelo receio de comprometimento da renda já deteriorada dos consumidores. Os resultados positivos continuam sendo vistos apenas em segmentos de bens essenciais, não fortes o suficiente para evitar as quedas no conjunto geral do varejo paulista.

publicidade

Comentários