Covid-19: “Ter medo da vacina é ridículo e burrice”, diz Drauzio Varella

“Tínhamos que dar parabéns para a ciência, pela capacidade de elaborarem rapidamente as vacinas, porque isso vai ser a salvação de todos nós”, afirma o médico

0
vacina covid
Reprodução

Drauzio Varella criticou o movimento antivacina contra os novos imunizantes criados para combater a pandemia de covid-19. Para ele, “ter medo da vacina é ridículo e burrice”, declarou, em entrevista à revista Carta Capital.

publicidade

“Sabe o que eu acho engraçado, quando começou essa pandemia, o que todo mundo dizia? Tomara que surja uma vacina! Não vejo a hora! Quanto tempo será que leva pra surgir uma vacina? A ciência hoje é muito ágil para a obtenção de vacinas, existe uma tecnologia muito desenvolvida. Tivemos um tremendo investimento de capital, em todas as empresas, o Instituto Butantan, a Fiocruz, pra não falar das multinacionais como Pfizer, AstraZeneca, Moderna. Governos investiram centenas e milhões de dólares. Conseguimos produzir vacinas em tempo recorde, dez meses depois que a pandemia surgiu, praticamente, estamos vacinando as pessoas. E aí agora pessoas dizem ‘Ah não, foi muito rápido!’. Mas não era isso que a gente queria?”, declarou Drauzio Varella.

“Tínhamos que dar parabéns para a ciência, pela capacidade de elaborarem rapidamente as vacinas, porque isso vai ser a salvação de todos nós”, emendou o médico.

publicidade

“Ter medo da vacina? A chance de provocar algum risco colateral é mínimo. Já existem muitas pessoas vacinadas. Ter medo da vacina, que não costuma dar complicação grave nenhuma e não tem medo da doença que mata uma porcentagem grande das pessoas que são hospitalizadas? Desculpa, mas isso é ridículo e sendo até um pouco rude, burrice”, continuou, na entrevista à Carta Capital.

Em meio ao início da vacinação em diversos países, o governo de São Paulo anunciou nesta quinta-feira (7), que a Coronavac, adquirida por meio de parceria do laboratório chinês Sinovac com o Instituto Butantan, tem de 78% a 100% de eficácia contra a covid-19.

publicidade
coronavac
“A vacina do Instituto Butantan tem eficácia de 78% a 100% contra a covid-19, apontam os estudos no Brasil”, afirmou o governador João Doria (PSDB)

No mesmo dia, o Brasil bateu a marca de 200 mil mortes em razão da pandemia do novo coronavírus. Na lista de estados com mais mortes, o topo é ocupado por São Paulo (47.768), Rio de Janeiro (26.292) e Minas Gerais (12.366).

O ministro da Saúde afirma que a vacinação no país deve começar em até 45 dias. O governo paulista anunciou que pretende iniciar a aplicação de vacinas contra a covid-19 no dia 25 de janeiro.

Comentários