Empresa promove demissão em massa em meio à pandemia

0
desemprego
Foto: reprodução

Segundo o Sindicato dos Metalúrgicos de Osasco e Região, a metalúrgica Albras, em Embu das Artes, iniciou um processo de demissão em massa de 122 trabalhadores, cerca de 24% do total de funcionários.

publicidade

O sindicato afirma que tem cobrado esclarecimentos da fábrica desde que os trabalhadores começaram a denunciar as demissões unilaterais.

Ainda de acordo com a entidade, para piorar a situação, na hora de receber, os demitidos foram comunicados pela empresa que as verbas rescisórias serão parceladas em dez vezes. Muitos receberão parcelas de R$ 300,00 mensais. Além disso a empresa ignorou os valores de multas rescisórias que os demitidos têm direito, segundo o sindicato.

publicidade

A organização trabalhista diz que está procurando contatos com a fiscalização do trabalho e o MPT (Ministério Público do Trabalhando) visando a suspensão das demissões e a manutenção dos empregos. “São mais de 100 famílias que afetadas durante a pandemia. Vale ressaltar que, neste momento, os trabalhadores encontrarão, inclusive, dificuldades para dar entrada no seguro desemprego”, afirma a entidade.

No dia 23 de março, os diretores do Sindicato se reuniram com a empresa e apresentaram alternativas, de acordo com as medidas anunciadas pelo governo, que poderiam ser adotadas, para impedir demissões e minimizar os impactos das crises econômica e do novo coronavírus na produção. Mas a empresa não quis firmar compromissos.

publicidade

Para o Sindicato, “o processo de demissão em massa aplicado pela Albras é uma violação dos direitos dos trabalhadores e fere a Constituição Federal”.

Comentários